Madero adquire nova máquina de pães para ‘Cozinha Central’ em PG

Ponta Grossa

20 de janeiro de 2020 19:34

Fernando Rogala


Relacionadas

Família procura jovem que desapareceu no Centro de PG

Romu e GM prendem suspeitos de tráfico no centro de PG

Cavalos roubados da equoterapia são encontrados

Carro com pendências bate em muro e passageiros fogem
Discussões sobre o Tarifa Zero voltam após o carnaval
Mãe e filho são presos por tráfico de drogas em PG
Mariquinha e Vila Velha estampam cadernos escolares
PUBLICIDADE

Aquisição faz parte da quarta fase de expansão da fábrica da empresa em Ponta Grossa, que será inaugurada neste ano


O Grupo Madero mantém a expansão da sua fábrica em Ponta Grossa – a ‘Cozinha Central’, como é chamada, instalada no Distrito Industrial Cyro Martins, às margens da BR-376. Com mais uma edificação chegando ao fim, além da construção civil, a planta recebe novos equipamentos. O mais recente a chegar foi uma máquina de fazer pães, com maior capacidade e maneira diferente de produção, que, segundo Junior Durski, fundador do Grupo Madero, tornarão os já famosos pães dos restaurantes ainda melhores.

A máquina foi importada, teve origem austríaco/francesa, e já está ligada na planta de Ponta Grossa, como informou Durski em uma postagem em uma rede social. “Pensa numa alegria: nossa máquina para fazer pães está funcionando. Antes dela, os nossos pães eram muito bons, agora são perfeitos!”, informou. Com ela, a fábrica mais que triplica a capacidade de produção, ao passar de 3,5 mil pães por hora para 11,2 mil/hora. O valor não foi revelado.

Os investimentos são uma constante na unidade de Ponta Grossa, uma necessidade diante do projeto de crescimento constante do grupo. No primeiro semestre do ano passado, a empresa anunciou um novo aporte multimilionário na cidade, na casa de R$ 600 milhões, que será aplicado pelos próximos anos, em novas fases de expansão da unidade. O impulsionamento ocorre após o fundo de investimento Carlyle acertar a compra de 22% da empresa pelo valor de R$ 700 milhões, o que ocorreu no segundo semestre de 2018

Os investimentos que estão sendo concluídos neste momento pertencem à fase 4 de expansão, prevista para ser inaugurada neste ano, para que a Cozinha Central passe a contar com 35 mil metros quadrados de área construída, capaz de atender as necessidades do Grupo até 2024. Os investimentos na cidade já ultrapassam os R$ 210 milhões, onde trabalham mais de 400 funcionários. 

A Cozinha Central produz quase 100% de tudo o que é servido em todos os restaurantes do grupo, contando com setores de hambúrgueres e empanados; panificação; molhos, sobremesas; embutidos e defumados; armazém de secos; e câmaras frias.


Empresa contratará 2,5 mil pessoas

De acordo com Junior Durski, hoje o grupo conta com 190 restaurantes próprios, empregando 8 mil pessoas de forma direta, os quais atendem cerca de 3 milhões de clientes por mês. Somente neste ano, a estimativa é de que sejam contratados mais 2,5 mil pessoas em todo o país, somando mais de 10 mil colaboradores. Número que deverá dobrar em cinco anos. “Em 2.024, seremos em 20 mil pessoas trabalhando no Grupo Madero, e vamos pagar mais de R$ 1 bilhão em impostos”, escreveu o fundador da empresa. “Vamos cumprindo com a nossa obrigação de ajudar o nosso país!”, concluiu.

-->
PUBLICIDADE

Recomendados