PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Stocco propõe fim do uso de canudos plásticos a partir de 2021

Ponta Grossa

24 de janeiro de 2020 15:30

Da Redação


Relacionadas

GM prende homem com mandado de prisão em aberto

Bairros de PG podem ficar sem água nesta quinta

Cantora mirim representa Ponta Grossa no The Voice Kids

Veículo colide contra anteparo na BR-376 em Ponta Grossa
Homens embriagados agridem esposas e são presos em PG
Jovem assalta comércio e atira pedras contra vítimas em PG
Centro de Atendimento da Criança abrirá na segunda
Foto: Imagem: Divulgação
PUBLICIDADE

Vereador da Rede Sustentabilidade vai reapresentar projeto que trata da extinção do uso de canudos de plástico

O vereador Geraldo Stocco (REDE) decidiu reapresentar o projeto de lei (PL) que prevê o fim do uso de canudos de plástico em Ponta Grossa. A medida foi apresentada pelo vereador em 2019, mas acabou sendo rejeitada no plenário do Legislativo. Como permite o regimento, Stocco quer reapresentar o projeto dando prazo de um ano para que os estabelecimentos comerciais se adequem a determinação, caso ela seja aprovada. 

Stocco argumenta que grandes cidades brasileiras já proibiram o uso de canudos plásticos, como é o caso de São Paulo e Fortaleza. “Nossa proposta é que o fim do uso dos canudos plásticos em restaurantes, bares, lanchonetes, trailers, food trucks, ambulantes e similares acontece no prazo de um ano da possível publicação da lei”, diz Stocco. O texto sugerido pelo vereador prevê que estabelecimentos comerciais utilizem métodos alternativos, como canudos biodegradáveis ou recicláveis.

De acordo com Geraldo, projetos semelhantes já foram aprovados nas principais capitais brasileiras, refletindo a preocupação atual da sociedade com o meio ambiente. “Podemos aproveitar e aprovar uma legislação progressista, que vai de encontro como nossos desafios. O mesmo aconteceu com a lei antifumo”, exemplifica o vereador citando a lei aprovada em 2009 na cidade. 

No novo ano legislativo, Stocco acredita que a Câmara tem uma nova oportunidade de discutir o assunto. “Em 2019, o projeto veio à plenário e acabou sendo rejeitado e direcionado ao arquivo. Acredito que neste ano, temos uma nova oportunidade de discutir esse tema tão importante, agora de maneira mais responsável e mais informada”, contou o vereador.

As informações são da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados