Como a Pandemia pode acelerar as minhas vendas?

Ponta Grossa

16 de março de 2020 15:04

Da Redação


Relacionadas

Indústria irá investir R$ 5 milhões em Ponta Grossa

Problema afeta o abastecimento de água em PG

Assinatura de compra de imóvel é feita 100% online em PG

Acipg apoia Prefeitura em ações de combate à Covid-19
PG tem 56 casos descartados de coronavírus
Delegado explica detalhes sobre boletim de Rangel
Morre Alício Martins, o homem do bolo de 'Porvilho'
PUBLICIDADE

No cenário internacional estamos vendo apenas farmácias e hospitais com atendimento integral, todos os outros setores estão de portas fechadas


Não trata-se de alarmismo ou terrorismo, mas de uma internacionalização dos fatos: a sua loja tem grandes chances de condenação em tempos de Pandemia. As orientações para isolamento são reais com o novo COVID-19, declarado Pandemia pela OMS no dia 11 deste mês, e começam a ser seguidas por grupos de riscos e se disseminam entre parentes e amigos. E essas orientações são claras: se não for urgência, não saia de casa. No cenário internacional estamos vendo apenas farmácias e hospitais com atendimento integral, todos os outros setores estão de portas fechadas aguardando e ansiando por uma melhora. Isso não significa que a população não tem necessidade naqueles produtos, significa que elas não podem sair para comprá-los e é nessa hora que a sua loja se adapta, ou padece.

E você, lojista, sabe que estoque parado não significa nada além de prejuízo. As contas ainda terão de ser pagas. Para aqueles itens perecíveis, a angústia é ainda maior em ver o estoque preenchendo sacos de lixo. “A necessidade de compra pelos consumidores existe. A necessidade de vender é ainda maior. O veículo é que precisa mudar: as lojas virtuais ganham espaço e confiança com o abalado mercado. A disponibilização online e o envio dos produtos até a casa dos clientes vence a barreira imposta pelo isolamento e garante a segurança almejada.” disse, Leonardo Vieira, especialista em comércio eletrônico e CEO da Laon Soluções.

A venda de roupas, sapatos, ferramentas e equipamentos, produtos de limpeza, produtos de petshop, alimentos não processados, medicamentos, livros e presentes - e isso se estende para todos os produtos imagináveis - podem ocorrer com tranquilidade no modelo virtual. O cliente, na segurança de sua casa, escolhe o item. A sua loja recebe o pedido, separa, embala tomando as medidas de higienização e envia para a casa do cliente. Não há aglomerações e nem contato próximo. O cliente, seus funcionários, você e sua loja seguros.

As redes de shoppings centers vivem um momento de dúvida sobre como será o tráfego de pessoas nos centros de compras nas próximas semanas, aliás, o fluxo já está sendo afetado de acordo com representantes das varejistas. “O movimento caiu significativamente nas últimas 48 horas. Foram uns 30% de queda nas visitas às lojas e uns 20% a 30% nas vendas”, diz Tito Bessa Júnior, presidente da Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos) e fundador da rede de moda TNG. “Se esse resultado ocorreu em dois dias, imagine nas próximas semanas”, declara.

E o cenário atual é total reflexo do momento que estamos vivendo no país e em todo o mundo, as vendas online crescem a cada dia, de maneira exponencial, com varejistas e marketplaces tendo aumento em seus resultados, e nas ruas, lojas que não se adaptam, prestes a enfrentar talvez, a maior crise da sua existência no mercado.

PUBLICIDADE

Recomendados