Primeiro infectado por coronavírus em PG está ‘estável’

Ponta Grossa

21 de março de 2020 18:57

Fernando Rogala


Relacionadas

Em PG, carro colide com moto e condutor foge do local

Professor Edson propõe criar Universidade Solidária em PG

Acidente entre caminhão e ambulância complica o trânsito em PG

PG registra mais dois óbitos causados pela covid
Auxílio da Lei Aldir Blanc ajuda espaços culturais em PG
Babalorixá Ricardo de Ogum morre aos 48 anos em PG
Grupo fará carreata pedindo a volta das aulas presenciais
Condição foi detalhada por Rodrigo Manjabosco Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Secretário adjunto de saúde em Ponta Grossa acredita que quadro do paciente será leve, sem complicações 

O secretário adjunto de saúde, Rodrigo Manjabosco, gravou um vídeo, na tarde deste sábado (21), detalhando o primeiro caso suspeito de coronavírus em Ponta Grossa. Ele reitera o resultado do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), e confirmou que se trata de um homem, que há alguns dias esteve em outro país. Embora não tenha detalhado nomes ou a idade do paciente, para preservar a identidade e manter a segurança do mesmo, informou que se trata de um jovem, e que apresenta quadro estável, sem complicações.

“É um paciente que está estável, até o momento, e sua condição de saúde não teve piora. Ele é jovem, então, com isso, acreditamos que o quadro dele será leve”, reforçou Manjabosco. Além disso, o médico relatou que o primeiro contaminado foi orientado pela equipe e segue monitorado.

As pessoas com quem ele teve contato agora passam ao grupo de mais de 100 monitoradas. “Sempre que fazemos o monitoramento dos pacientes suspeitos, fazemos também de todos os seus contatos. É uma conduta que fazemos assim que o paciente seja inserido no quadro de suspeitos”, completou.

A confirmação do primeiro caso traz um momento de alerta para o município. “É importante entender que esse caso específico traz, para nós, um momento do monitoramento com todos os pacientes. É importante as pessoas entenderem a seriedade desse cenário, mas compreender que é nosso papel tomar as atitudes para impedir a transmissão dessa doença”, indicou Manjabosco.

 

PUBLICIDADE

Recomendados