HU desenvolve modelo de máscara para produção

Ponta Grossa

25 de março de 2020 08:38

Da Redação


Relacionadas

Indústria irá investir R$ 5 milhões em Ponta Grossa

Problema afeta o abastecimento de água em PG

Assinatura de compra de imóvel é feita 100% online em PG

Acipg apoia Prefeitura em ações de combate à Covid-19
PG tem 56 casos descartados de coronavírus
Delegado explica detalhes sobre boletim de Rangel
Morre Alício Martins, o homem do bolo de 'Porvilho'
PUBLICIDADE

Estudo foi realizado para suprir demanda diante do desabastecimento de equipamentos de proteção individual para os profissionais da saúde

A equipe técnica do Hospital Universitário desenvolveu um modelo de máscara para a proteção dos agentes que vão trabalhar durante a fase de pandemia do Coronavírus. Everson Krum, vice-reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), parabenizou a iniciativa. “Devido ao desabastecimento dos mercados em relação às máscaras, principalmente, do modelo N95, fundamental para os profissionais de saúde no atendimento às pessoas com Coronavírus, as equipes técnicas do Hospital produziram uma máscara alternativa que oferece a mesma proteção”, conta.

Conforme explica Caroline Simionato Zander, Chefe do Bloco Cirúrgico do Hospital Universitário, foram realizados vários testes para chegar até a máscara apropriada, que forneça segurança para os funcionários e ajude no controle da disseminação do vírus. Segundo Carol, os modelos foram produzidos pela sua mãe, Jussara Barbosa, que é estilista. “Foi utilizado o SMS, material que temos no hospital e o professor de Engenharia de Materiais da UEPG Sidnei Pianaro fez análise em microscópio eletrônico, confirmando que a gramatura era semelhante à mascara N95”, disse.

“Nós testamos seis modelos com o objetivo de definir aquele que se adapta melhor às necessidades das equipes do hospital”, conta Carol. O vice-reitor explica que o próximo passo, após definir o molde, é reunir voluntários que possam ajudar na confecção das máscaras.

Outras Universidades possuem iniciativas similares, como é o caso da UEL que também busca um modelo de máscara próprio, conforme proposta da enfermeira Danielly Negrão, professora do Curso de Enfermagem da UEL e da Professora Thassiana Miotto do curso de Design e Moda da UEL. Para o reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto “a mobilização das instituições, que trabalham em sintonia para encontrar soluções viáveis, é importante para atender às necessidades da comunidade”, reforça.

Informações assessoria de imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados