SindServ quer adicional para servidores que atuam contra Covid-19

Ponta Grossa

31 de março de 2020 18:59

Afonso Verner


Relacionadas

Passos protocola PL que ajuda transportadores escolares

PG é apenas a 23ª cidade em recursos oriundos da União

Paróquia instala cabine de desinfecção em Ponta Grossa

Sala do Empreendedor registra explosão de procura por crédito
'Rotary in Live' arrecada mais de 50 mil reais em doações
São Camilo entrega primeira etapa de complexo em junho
'Blitz do bem' promove doação de máscaras em Ponta Grossa
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Entidade pede que funcionários estão na linha de frente contra o Coronavírus recebam adicional de peliculosidade

O Sindicato dos Servidores Municipais protocolou nesta terça-feira (31) um pedido para que o prefeito Marcelo Rangel (PSDB) autorize de forma imediata o pagamento de adicional de insalubridade em grau máximo (40% do salário base) a todos os servidores que estão na chamada “linha de frente”, independente do cargo ou secretaria que estão lotados. A medida pode esbarrar nas limitações do caixa da Prefeitura.  

Segundo o Sindicato, o pedido justifica-se pela exposição desses trabalhadores nesse momento. “Alguns municípios já iniciaram este pagamento aos servidores que estão em contato com pacientes ou usuários de outros serviços os quais estão expostos a um grande risco de contaminação em virtude das atividades que não podem cessar neste momento, como por exemplo, trabalhadores do Serviço Funerário e da Assistência Social”, destaca o presidente do sindicato Roberto Ferensovicz.

O SindServ sugeriu ainda que os pagamentos sejam realizados a esses trabalhadores a partir de relação elaborada pelas chefias imediatas, ou pelo RH, no caso dos hospitais, ou outro setor que tenha RH próprio. “Dessa forma, o pagamento ocorreria de forma mais rápida, pois se houver a necessidade de processos individuais entendemos que a resposta será muito mais demorada, pois estamos falando de um número grande de trabalhadores, milhares talvez”, afirma o sindicalista. 

Falta definição

O pagamento do Adicional de 40% havia sido anunciado, no entanto não ficou definido para quais servidores e nem a forma de pedido. “Havia uma informação de que os pedidos deveriam ser realizados individualmente pelos servidores da saúde”, explica Roberto.

A preocupação do Sindicato é que essa forma de encaminhamento se tornaria lenta e levaria um acúmulo de pedidos ao departamento de Segurança do Trabalho, que neste momento está também envolvido nos treinamentos dos servidores em relação a utilização dos EPIs e outra atividades relacionadas ao COVID-19.

“Nosso pedido visa primeiramente atender a todos os servidores envolvidos neste momento de enfrentamento ao Coronavírus, e principalmente para que haja uma agilidade no processo e dessa forma o pagamento seja efetuado no pagamento do salário no final de abril”, afirma Roberto.

Com informações da assessoria. 

PUBLICIDADE

Recomendados