BRDE libera R$ 850 mi para investimentos no Paraná

Ponta Grossa

31 de março de 2020 19:29

Fernando Rogala


Relacionadas

Ponta Grossa registra 55º caso de coronavírus

Acidente envolve moto e caminhonete em Oficinas

Queda de energia elétrica afeta abastecimento no Guaragi

EstaR retoma horário normal de operação a partir de segunda
Ocupação de leitos de UTI no HU-UEPG preocupa autoridades
Imagem flagra 'objeto estranho' nos céus de PG
Produção de máscaras ajuda na renda de famílias de PG
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Valores foram destinados em 2019 para pequenas e médias empresas, produtores rurais e para inovação 

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) registrou um resultado recorde em 2019. O diretor-presidente do BRDE, Marcelo Haendchen Dutra, declarou que o lucro líquido atingiu a marca de R$ 278 milhões, um crescimento de 55,7% em relação a 2018. Parte desse resultado deve-se ao desempenho registrado no Estado do Paraná. O montante contratado em 2019 no estado somou R$ 850 milhões, o que representa um incremento de 14% na comparação com 2018. Em toda a região Sul, as operações totalizaram R$ 2,47 bilhões que, somados às contrapartidas dos próprios empreendedores, viabilizaram investimentos de R$ 2,9 bilhões no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

No Estado do Paraná, do total liberado, destacam-se os valores destinados para micro, pequenas e médias empresas (R$ 375 milhões), produtor rural (R$ 177,5 milhões), inovação (R$ 80 milhões) e turismo (R$ 67,7 milhões). Em toda a região, o banco fechou o ano com 34 mil clientes ativos, cujos empreendimentos financiados estavam localizados em 1.083 municípios dos três Estados. "Isso corresponde a 90,9% dos municípios da Região Sul, o que demonstra a abrangência do trabalho do BRDE", ressalta Dutra.

Todos esses resultados possibilitaram que o banco anunciasse a criação de um programa de apoio aos empreendedores do Sul do Brasil, impactados pela pandemia de coronavírus: o Recupera Sul. Por meio dele, o BRDE vai injetar R$ 1,3 bilhão na economia do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná nos próximos 6 meses. A maior carteira ficará com o Paraná, onde serão disponibilizados R$ 670 milhões.

"O bom resultado do BRDE em 2019 possibilita a contribuição do banco para o momento atual”, diz o diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski. “Por isso, formatamos esse programa emergencial, o Recupera Sul, pelo qual disponibilizaremos R$ 670 milhões ao Paraná”, explicou.

Programa socorrerá empresas

O Programa Recupera Sul pretende proteger ou socorrer empresas dos principais setores afetados pela crise, com redução de taxas de juros, simplificação de processos, flexibilização de garantias e pulverização do crédito por meio de entidades parceiras. As linhas são microcrédito – até R$ 50 mil; micro e pequenas empresas - até R$ 200 mil; e demais empresas - até R$ 1,5 milhão. Também haverá R$ 520 milhões disponíveis para linhas de capital de giro e para incremento da produção.

Com informações da Agência Estadual de Notícias

PUBLICIDADE

Recomendados