Ex-comandante do 13º BIB pode concorrer à Prefeitura

Ponta Grossa

13 de abril de 2020 08:43

Afonso Verner


Relacionadas

Pastor João Carlos quer levar política social à Prefeitura de PG

Veja a agenda dos prefeituráveis de PG nesta terça-feira

Voo liga Vila Velha às Cataratas em menos de 2 horas

Elizabeth pretende executar novas ligações interbairros
Último debate com prefeituráveis será presencial
Professor Edson quer ampliar equipes de saúde em PG
Polícia descarta crime eleitoral contra Pauliki
PUBLICIDADE

Coronel Daniel Moreira Marques não descarta possibilidade de concorrer à Prefeitura em outubro

A disputa pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) pode ganhar um novo personagem ainda nas próximas semanas. O coronel Daniel Moreira Marques, ex-comandante do 13º Batalhão de Infantaria Blindado (13º BIB), estuda disputar o comando do Palácio da Ronda ainda em 2020. A possível candidatura é articulada por militares e outras lideranças políticas.

"Realmente tenho recebido constantes apelos para que eu me entregue a esse sacrifício. São pessoas de todas as classes que de alguma forma tiveram contato com o nosso trabalho junto ao 1º3 BIB registram que gostariam de ver o mesmo ocorrer com toda a cidade”, afirma o ex-comandante. Marques ressalta que uma possível candidatura seria um “grande sacrifício”, tanto pessoal quanto para a família do militar.  

“É uma decisão muito difícil para mim e para a minha família. Implica em trabalhar dentro de um campo de combate adverso que é a política, o qual não é o mesmo da vertente militar, onde princípios basilares são observados a todo custo. Probidade, lealdade, camaradagem e honestidade. Estou pensando", analisa o Coronel.

Ao ser questionado sobre possibilidade de compor alguma chapa para assumir o secretariado futuramente, Marques destacou que não se encaixaria neste cenário. “Minha maneira de fazer a gestão, pelas suas características ímpares e soluções inovadoras, não seriam aceitas por aqueles que não carregam a coragem junto ao peito. De forma que dificilmente qualquer prefeito, com pretensões meramente políticas, me daria carta branca para trabalhar”, afirma. 

“Para realmente fazer a diferença e entregar o que esperam, eu teria que estar a frente da equipe toda. Não sou político, sou militar com uma veia empresarial e gestor público”, sinaliza o ex-comandante do 13º BIB. Além de Marques, outro outsider que também é cotado para disputar o pleito é o juiz federal Antônio César Bochenek - por sua vez, o magistrado é impedido por lei de falar sobre o assunto.

Prazos da legislação eleitoral

Segundo a Legislação Eleitoral, militares tem que se afastar do cargo até quatro meses antes das eleições. No entanto, o prazo para filiações acabou no último dia 4 de abril e, todos os interessados em participar das eleições, precisam já estar filiados a um partido político para disputar o pleito. Este ano, coligações são vetadas para a disputa em cargos proporcionais (vagas na Câmara) mas permitidas em cargos majoritários (prefeituras).

PUBLICIDADE

Recomendados