Para Rangel, decisão do TJ é “lamentável e preocupante”

Ponta Grossa

09 de maio de 2020 10:49

Da Redação


Relacionadas

Defesa Civil atende família que teve residência danificada

Saúde confirma 12 novos casos de Covid neste sábado

Ponta Grossa tem confirmação de 5º óbito por Covid-19

Moradores bloqueiam rua e causam alvoroço em Olarias
Sargento da reserva pode ter sido vítima da Covid-19 em PG
Batalhão de Polícia Militar lamenta morte de sargento
Acidente deixa duas mulheres feridas na região central de PG
Prefeito considera decisão do TJ de bloquear recursos da Prefeitrura "equivocada" Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Prefeito usou as redes sociais para demonstrar insatisfação com bloqueio de verbas da Prefeitura pelo pagamento parcial de precatórios

Poucas horas depois da divulgação da notícia de que o governo municipal teve R$ 4,6 milhões bloqueados pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), o prefeito Marcelo Rangel usou as redes sociais para demonstrar sua insatisfação com a decisão judicial. Para ele, a medida é preocupante principalmente num momento de queda de arrecadação devido à pandemia do coronavírus, que derrubou em quase 20% a receita municipal somente em abril.

“Uma notícia muito triste para todos nós da administração da Prefeitura”, pontuou Rangel. “Lamentável e muito preocupante esta decisão, que coloca em risco as finanças no momento mais difícil da nossa história. Estamos perplexos e com preocupação absoluta como nunca aconteceu”, complementou o chefe do Executivo.

O valor bloqueado pelo Poder Judiciário é referente a valores não repassados para pagamento de precatórios no primeiro trimestre de 2020. Os valores devem ser retidos na conta em que o Município recebe o repasse de ICMS e equivalem ao custo mensal do Hospital Municipal Amadeu Puppi. “No momento mais difícil da história, perdermos R$ 4,5 milhões para saldar precatórios, enquanto estamos em calamidade econômica para pagamento de salários de servidores, nos parece ser completamente equivocado”, acrescentou.

Dos R$ 7,4 milhões previstos para o primeiro trimestre de 2020, foi feito o pagamento parcial, totalizando R$ 2,8 milhões. De 2018 para cá, quando o Município aderiu ao plano de pagamento, mais de R$ 35 milhões já foram repassados ao TJ para a quitação dos valores devidos em precatórios. Com a atualização do saldo de precatórios, para 2020 está previsto o pagamento mensal de R$ 2,4 milhões, o que equivale a 3,8% da Receita Corrente Líquida (RCL).

PUBLICIDADE

Recomendados