PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Residentes em Saúde fazem protesto em Ponta Grossa

Ponta Grossa

13 de maio de 2020 11:55

Afonso Verner


Relacionadas

Governador destaca trabalho de habitação em PG

Ratinho recebe anuário e destaca o Grupo aRede

'Eu Sou Cultura' é o novo single de Flávio Wilson

Governador está em PG para entrega de novo residencial
Suspeitos de roubos em PG são detidos com arma em Uvaranas
Romu encontra objetos em matagal na Praça do Pôr do Sol
Batida traseira entre caminhões deixa motorista ferido em PG
PUBLICIDADE

Estudantes estão sem receber bolsa (salário) em meio à pandemia da covid-19

Um grupo de 50 residentes em Saúde se reuniu na manhã desta quarta-feira (13), em Ponta Grossa. O grupo protesta pacificamente contra a falta de pagamento de bolsa (salário) para estudantes que integram programas de residência - os profissionais atuam em postos de saúde e hospitais. Os estudantes integram programas de residência do Hospital Universitário (HU-UEPG) e da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa.

Segundo o grupo, mais de 40 residentes estão sem receber salários em Ponta Grossa - há aqueles que não recebem há dois meses e há também estudantes com atraso no pagamento dos meses de abril. O problema atinge principalmente os residentes que ingressaram no programa esse ano e o problema é nacional e se repete em várias cidades brasileiras. 

No programa da Prefeitura, por exemplo, o atraso no pagamento atinge 24 residentes. Por sua vez, no programa de residência do HU-UEPG são mais de 20 anos atingidos. O pagamento vem do Ministério da Saúde, ligado ao Governo Federal - até o momento o Ministério não se manifestou sobre o assunto. 

Ao todo, mais de 10 programas de residência em saúde aderiram ao protesto nacional desta quarta-feira (13). Ações pacíficas de protesto também já aconteceram em outras cidades brasileiras. 

Papel na saúde pública

Os residentes em saúde tem papel fundamental no Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas em 2020, a turma do Programa da Prefeitura recebeu 45 alunos e, ao todo, a residência tem 88 participantes. Os residentes atuam em diversas unidades básicas de saúde (UBS) e também relatam a falta de equipamento básico para enfrentar a pandemia. 

PUBLICIDADE

Recomendados