Prefeitura investiga servidores que receberam auxílio

Ponta Grossa

01 de junho de 2020 09:39

Da Redação


Relacionadas

Pauliki cita amplo plano para concorrer à Prefeitura

Cuatrovientos e aRede promovem painel digital sobre a educação

Seria o fim do Funrural na exportação indireta?

Fundação de Saúde confirma 17 novos casos de Covid
HU-UEPG amplia número de leitos para a Covid-19
Professora lança manuais sobre comportamento dos animais
Reitor da UniCesumar é nomeado conselheiro do CNE
Governo municipal apura situação de servidores que receberam auxílio de R$ 600 indevidamente Foto: Arquivo/Divulgação
PUBLICIDADE

Rangel afirma que pelo menos 330 servidores municipais receberam auxílio indevidamente e garante que situação de todos está sob apuração

O prefeito Marcelo Rangel confirmou nesta segunda-feira (1º) que o governo municipal está investigando a situação dos servidores que estão recebendo o auxílio do governo federal, o que é ilegal e pode resultar até na demissão desses funcionários de carreira. Durante o programa Nilson de Oliveira, o chefe do Executivo de Ponta Grossa ressaltou que são pelo menos 330 servidores municipais que receberam o auxílio indevidamente.

“Fui atrás de todas as informações porque fiquei preocupado, isso pode levar à demissão de diversos servidores por justa causa”, garantiu o prefeito, ressaltando que há algumas situações em que o benefício pode ter sido depositado devido a um equívoco. “A maioria desses 330 servidores são estagiários, estudantes que para terem benefício do transporte público precisam estar no CadÚnico”, explica Rangel, acrescentando que foi informado pela Caixa Econômica que o auxílio de R$ 600 foi depositado automaticamente para todos os cadastrados no CadÚnico.

Ele também lembra que há o caso de um servidor efetivo que fez o cadastro no sistema do governo federal antes de ser admitido pela Prefeitura, mas ele devolveu o dinheiro logo após recebê-lo. “Mesmo assim, todos vão ser investigados porque, se houve algum tipo de dolo, vão se incomodar com a Justiça”, assegura o prefeito.

Apesar de ressaltar que muitos casos podem ter acontecido sem intenção, Rangel garante que há uma investigação em andamento realizada pela Controladoria e pela Procuradoria-Geral do Município. “Além de ter que devolver o dinheiro, poderão passar por processos administrativos e perder o emprego na Prefeitura”, complementa.

Nota da Prefeitura

Na última sexta-feira (29), a assessoria de comunicação da Prefeitura de Ponta Grossa emitiu uma nota a respeito do recebimento indevido do auxílio governamental. Abaixo, confira a íntegra do comunicado:

A Prefeitura de Ponta Grossa informa que o repasse do auxílio emergencial do Governo Federal feito a servidores do município está sob análise. Conforme as regras do auxílio informadas pela Caixa Econômica, todo cidadão do país que possui cadastro no CadÚnico pode receber automaticamente o benefício. É de conhecimento do Município que os estagiários da prefeitura possuem cadastro no CadÚnico para que possam receber o Passe-Livre, o que pode ter desencadeado a liberação do repasse de forma involuntária. Ninguém será penalizado indevidamente por parte da Prefeitura, mas, por outro lado, não serão aceitos pedidos indevidos do auxílio emergencial.

PUBLICIDADE

Recomendados