Momento Cavalli traz família para falar sobre o autismo

Ponta Grossa

01 de julho de 2020 19:55

Da Redação


Relacionadas

Prefeitura antecipa 13º e injeta R$ 13 mi na economia de PG

Indústria japonesa sonda PG para investimento

Prefeito e vice visitam obras no segundo Lago de Olarias

Lei prevê "drink emergência" para proteger mulheres de abuso em PG
PG se aproxima de 2 mil casos de Covid-19
Ponta Grossa registra nova morte pela covid-19
Plauto quer explicações sobre abandono dos cemitérios de PG
Marcel Stefanini e Violet Shibuta relataram detalhes da experiência familiar. Estudos indicam que o Transtorno do Espectro Autista afeta uma a cada 54 crianças no mundo. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Marcel Stefanini e Violet Shibuta relataram detalhes da experiência familiar. Estudos indicam que o Transtorno do Espectro Autista afeta uma a cada 54 crianças no mundo.

O programa ‘Momento Cavali’ desta quarta-feira (01) abordou um assunto que ainda causa muita controvérsia e preconceito. O tema do bate-papo foi ‘Autismo, sem estigma e preconceito’. Para falar sobre o assunto, o programa convidou Marcel Stefanini e Violet Shibuta que são pais da Summer e do Stefan. Quando filha mais velha foi diagnosticada com autismo, a família passou a pesquisar mais sobre o transtorno e como é tratado nos diversos países por onde a família viaja. (Confira a entrevista completa aqui)

Marcel e Violet nos explicaram que o Transtorno do Espectro Autista (TEA), refere-se a uma ampla gama de desafios com habilidades sociais, comportamentos repetitivos, fala e comunicação não verbal. Estudos indicam que, atualmente, o TEA afeta uma a cada 54 crianças no mundo. Os sinais de TEA aparecem geralmente entre 2 ou 3 anos, sendo que alguns atrasos no desenvolvimento podem aparecer ainda mais cedo, e muitas vezes, podem ser diagnosticados em 18 meses. 

Os pais contaram que cada pessoa com TEA é diferente da outra, por isso é chamado de espectro. Muitas vezes é difícil chegar a um diagnóstico da doença rapidamente, porque o TEA é dividido em três graus: leve, moderado e severo. Quanto mais auxílio a pessoa precisa, mais alto é o grau. 

Além disso, eles relataram que existem leis que asseguram e garantem os direitos das pessoas com TEA. Marcel e Violet também explicaram que os exercícios físicos de corpo inteiro são muito benéficos para crianças com TEA, pois eles aumentam e melhoram a coordenação, força, resistência e consciência corporal, além dos exercícios as terapias assistidas com animais (cães na maioria das vezes) também se mostram muito eficientes.

Ainda mencionaram o significado do símbolo do autismo, é um quebra-cabeça colorido, que reflete a complexidade do espectro do autismo. As diferentes cores e formas representam a diversidade das pessoas e famílias que vivem com a condição.

Por fim Marcel e Violet nos contaram um pouco mais sobre os fofos Summer e Stefan. Summer viaja desde muito cedo, o primeiro voo internacional dela foi com 8 meses. “Ela se comportou muito bem! Depois do diagnóstico começamos a viajar ainda mais com ela e hoje em dia, o lugar preferido dela é o aeroporto e o avião! ”, relatou Violet.

Sobre a interação com irmão Stefan eles nos relataram que pensavam que ela não daria muita atenção para ele, mas para surpresa deles ela se mostrou muito curiosa e carinhosa, ajuda nos banhos, trocas de fralda e sempre quer pegá-lo no colo, além disso, apresentou os tão típicos sinais de ciúmes de irmãos. Marcel e Violet atualmente residem nos Estados Unidos, porque  na época em que descobriram o autismo da Summer, eles decidiram passar alguns meses no país para analisar como era o tratamento de autismo lá,  e como a evolução dela foi muito boa, eles optaram por  fixar residência no país.

PUBLICIDADE

Recomendados