PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ensino híbrido será adotado na volta às aulas em PG

Ponta Grossa

02 de julho de 2020 20:13

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Diocese lembra Dia Mundial das Comunicações Sociais

Colisão carro e caminhão mobiliza PRF em trecho da 376

Gari dá exemplo ao encontrar celular perdido em rua de PG

Homem ameaça ex-mulher com arma de fogo e é detido em PG
Polícia Civil cumpre mandados de prisão em Ponta Grossa
Elizabeth apresenta Usina para Consórcio Intermunicipal
Embrapa confirma diálogo para ceder área ao Exército
Saveli afirma que Ponta Grossa seguirá calendário proposto pelo Estado Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Secretária de Educação Esméria Saveli explicou formato que mesclará educação presencial e na TV

A secretária de Educação de Ponta Grossa, professora Esméria Saveli, concedeu uma entrevista ao Portal aRede e Jornal da Manhã sobre uma proposta no volta às aulas na rede municipal: o ensino híbrido. Buscando conter aglomerações e ter um retorno seguro, a gestora educacional comenta os principais pontos. Segundo o governador Ratinho Junior (PSD), o retorno será no próximo mês em todo o Paraná.

“Não tiramos o 3 de agosto do nada. Surgiu, e já fizemos um calendário prevendo todas as aulas, atividades, até 31 de dezembro, porque o governador Ratinho falou que voltaria. Enquanto o governador não fizer outro movimento, no sentido de alterar essa data, estaria mantido 3 de agosto. O município de Ponta Grossa não vai voltar isolado daquilo que estará acontecendo no Paraná”, cita a secretária.

Assim como o programa na TV Educativa, que ocorre desde março em Ponta Grossa – e que passou por alterações para ampliar e qualificar o atendimento ao público – o retorno dos alunos presencialmente passará por estudo. Assim, unem-se ambos tipos de ensino, que configuram o híbrido, conforme explica Saveli.

“Estaremos usando o mês de julho para estar organizando uma nova forma de acolher essas crianças e professores. Ao voltar as aulas presenciais, não tem condição de voltar no mesmo modelo, com todas as crianças. Por isso que estamos falando no ensino híbrido. Vão ter dias que o grupo, pelo menos 50% das crianças de uma determina escola vêm, têm aula presencial, onde os professores trabalham com dificuldades que tiveram em relação aos conteúdos que foram trabalhados no programa de educação remota. Outro grupo ficaria em casa, assistindo pela televisão as aulas”, pontua a secretária.

A professora cita que o ensino híbrido está sendo um novo aprendizado. “Da mesma forma como eles foram pessoas maravilhosas e competentes para desenvolver a primeira proposta, vai ser agora a segunda proposta. Vai aliviar muito a questão das mães, da família, que hoje está praticamente responsável pelo ensino da criança”, conclui Saveli.

Beto Preto diz que não há definição

O Comitê de Planejamento de Retorno às Aulas Pós-Pandemia realizou na tarde da última quarta-feira (01) a primeira reunião. “Ainda não há uma definição sobre a data de retorno das aulas presenciais no Estado, mas estamos trabalhando como uma força-tarefa com as demais secretariais para que em um futuro próximo, possamos autorizar a retomada das aulas”, disse o secretário Beto Preto. Estiveram presente, também, outros secretários e especialistas.

PUBLICIDADE

Recomendados