Tekla mantém objetivo de construir ‘Mercadão’

Ponta Grossa

13 de julho de 2020 20:03

Fernando Rogala


Relacionadas

Vinicius Camargo homenageia artista plástico na Câmara de PG

Unimed PG é finalista em premiação nacional

Rede particular de PG e região perde mais de 680 alunos

Após seis meses do 1º caso de Covid, PG inicia retomada
Voepass aumenta voos e PG terá conexão com Foz
Associação de Proteção Veicular: Serviços de qualidade com preço acessível
Sindicato Rural abre inscrições para Concurso de Fotos
Estrutura principal do Mercado Municipal foi demolida para a construção do novo projeto Foto: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Prefeitura informou que irá notificar a empresa para a rescisão do contrato. Empresa, porém, quer manter projeto de construção do empreendimento

A prefeitura de Ponta Grossa pretende fazer a rescisão de contrato com a Tekla Engenharia, empresa que venceu a licitação para a construção do novo Mercado Municipal de Ponta Grossa. Isso, contudo, não é o objetivo da empresa. O motivo da rescisão, segundo a prefeitura, foi por não cumprir com as obrigações - entre elas com o prazo da obra. Conforme foi previsto no acordo assinado entre a empresa e o município, em 2017, os prazos divulgados para a conclusão da obra era de 36 meses a partir da publicação da assinatura da concessão em diário oficial, ou seja, em outubro de 2020. O investimento previsto para o local é superior a R$ 70 milhões, com a construção, além do ‘Mercadão’, um hotel e um edifício-garagem. 

Em nota oficial, a Prefeitura informou que busca manter o contato com a empresa, e que fará a notificação sobre a rescisão do contrato. “O município tem buscando contato com a empresa através do endereço e telefones fornecidos porém, não tem obtido sucesso. A Procuradoria Geral do Município busca outras alternativas para que a empresa seja notificada sobre a rescisão”. 

Ricardo Siqueira, engenheiro civil e proprietário da Tekla Engenharia, respondeu à reportagem do Jornal da Manhã e Portal aRede que, até o momento, não recebeu nenhuma notificação da prefeitura com uma rescisão de contrato. Ele, inclusive, se mostrou surpreso com essa informação, a qual afirma ter descoberto na internet, no fim de semana. Contudo, revelou que mantém o objetivo, sim, de continuar o projeto. Desde que obteve a concessão, Siqueira recorda inúmeras dificuldades encontradas no local para a realização da obra, que não estavam previstas, e foram atrasando os processos iniciais. Para encerrar, o empresário nega a nota da prefeitura, e confirma que “tem mantido o contato com a prefeitura, com às pessoas de sempre”.

Na próxima semana, Ricardo Siqueira se comprometeu a conceder uma entrevista exclusiva do Jornal da Manhã e Portal aRede, detalhando todo o cronograma, o que ocorreu até o momento e o que pretende fazer para continuar com o projeto da construção do novo Mercado Municipal de Ponta Grossa.


Aporte será superior a R$ 70 milhões

Em 2018, a Tekla Engenharia anunciou um novo projeto arquitetônico, realizado pelo escritório curitibano de arquitetura Doria Lopes Fiuza, bastante reconhecido no Estado, responsável por diversas obras, inclusive em Ponta Grossa. Quando pronto, local será transformado em um complexo comercial, com estandes para lojas, praça de alimentação, salas de cinema, edifício-garagem, e, mantendo as ‘raízes’ do Mercado Municipal, amplo espaço para produtores rurais venderem frutas, verduras, legumes, hortifrútis, entre outros.

PUBLICIDADE

Recomendados