Ricardo Zampieri quer instalação de Câmeras nas UBS de PG

Ponta Grossa

29 de julho de 2020 22:34

Da Redação


Relacionadas

Bombeiros combatem princípio de incêndio em cafeteria

Rapaz é atingido com golpe de facão ao defender tia

Pauliki e Zampieri asseguram compromisso com a UEPG

Veículos com alerta de furto são recuperados em PG
Uber atinge carro da polícia e viatura tomba
Motoboy fratura os pés após colisão com automóvel
Residência em Uvaranas é atingida por incêndio
Foto: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

Vereador do Republicanos é autor de projeto de lei que prevê instalação. Proposta visa diminuir número de furtos e prejuízo com vandalismo

O vereador Ricardo Zampieri (REPUBLICANOS) é autor do projeto de lei (PL 254/2018) que obriga a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) a instalar câmeras de segurança nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). A proposta começou a ser discutida no Legislativo Municipal nesta quarta-feira (29). Segundo Ricardo, a proposta busca coibir furtos e vandalismo nas UBS. 

O autor do projeto lembra que a Prefeitura gasta, anualmente, mais de R$ 300 mil para solucionar problemas causados por furtos e vandalismo nas Unidades Básicas. Além disso, Ricardo destaca que a proposta contribuiria com o trabalho da Guarda Municipal. “É muito mais plausível ter câmeras nas unidades e guardas fazendo rondas, em viaturas. Não é possível deixar um guarda 24h por dia em cada UBS”, destaca. 

O projeto de Zampieri prevê que as câmeras estejam posicionadas para captar imagens da área interna e externa, além de também estarem conectadas ao sistema de monitoramento da Guarda Municipal (GM). “O projeto vai trazer mais segurança para a comunidade, além de dar mais segurança aos próprios servidores públicos”, contou Ricardo. 

O texto sugerido por Zampieri ressalta ainda que, apesar de ter custos ao município, o projeto traria benefícios muito maiores. “O custo da instalação se comparado ao custo causado pelos furtos e vandalismos é irrisório. As UBS são frequentemente invadidas e prejudicadas e quem perde é a população que acaba ficando sem atendimento médico”, disse. 

O projeto acabou sendo retirado para vistas para receber ajustes de outros parlamentares e deve voltar à pauta na próxima semana.

As informações são da assessoria.

PUBLICIDADE

Recomendados