Exportações de PG crescem em julho e somam R$ 3,15 bi em 2020

Ponta Grossa

07 de agosto de 2020 21:18

Fernando Rogala


Relacionadas

Setembro termina quente e outubro terá calor intenso

Estudantes da UEPG escrevem cartas para jovens do Cense

CCT dos Bombeiros vira depósito de viaturas sucateadas

PG se aproxima de 100 mortes pelo coronavírus
PT e PSOL buscam auxiliar na eleição a vereador com ‘voto de legenda’
Homem armado é preso após ameaçar caminhoneiro em PG
Obras na Sanepar deixam Centro de PG sem água
Depois do complexo soja, destaca-se as exportações de embalagens do tipo Tetra Pak, que ampliou em 37% o envio de produtos Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Venda de produtos a outros países cresceram em relação a julho de 2019. Importações estão em alta 

As exportações ponta-grossenses cresceram em julho e o município registrou, neste início do segundo semestre, o maior valor comercializado para o exterior em um único mês em 2020. Somados todos os produtos vendidos a outros países em julho, foram exportados US$ 113,95, ou seja, o equivalente a R$ 594,71 milhões, de acordo com a cotação do dólar comercial, que fechou o último dia do mês (31) a R$ 5,219. Esse valor é 0,10% maior que os R$ 594,15 milhões enviados ao exterior no mesmo período em julho de 2019. No acumulado dos sete meses de 2020, Ponta Grossa atingiu a marca de R$ 3,15 bilhões em exportações, e o saldo da balança comercial do município é de R$ 1,61 bilhão.

Como praxe, no mês de julho, o principal produto exportado é da cadeia da soja. As tortas e outros resíduos sólidos resultantes da extração do óleo de soja foram os produtos mais enviados ao exterior, com R$ 376,3 milhões comercializados, ou seja, equivalente a quase dois terços do total comercializado. Logo depois aparecem os R$ 110,99 milhões do óleo de soja e R$ 34,6 milhões de embalagens do tipo Tetra Pak. Depois de julho, o maior valor mensal deste ano foi registrado em maio, com R$ 566,9 milhões  exportados.

No acumulado do ano, o ranking dos três primeiros é o mesmo, com os resíduos da soja respondendo a R$ 1,63 bi do total, ou seja, 52% de tudo exportado, enquanto que o óleo de soja representa R$ 480,2 milhões (15% do total) e as embalagens Tetra Pak somam R$ 399,2 milhões. Neste último caso, de embalagens, houve um incremento da ordem de 37,2%, na comparação com o valor exportado no mesmo período em 2019, e agora correspondem a 13% das exportações municipais. 

Neste período de sete meses, 189 tipos diferentes de produtos foram comercializados para outros países, e embora o valor de R$ 3,15 bilhões seja 22% inferior ao contabilizado em julho de 2019, representa 5,8% das participações do Estado, o que coloca Ponta Grossa na quinta posição no Paraná. Entre todos os municípios brasileiros, Ponta Grossa ocupa a 42ª posição nacional no ranking das exportações. Já quanto às importações, elas cresceram 4,6% e totalizaram R$ 1,54 bilhão, sexto maior valor do Estado e 63º maior do Brasil.


Município amplia mercados com outros países

O principal destino das exportações foi a França. O país Europeu recebeu R$ 358,02 milhões em produtos, o que representa 11,4% do mercado externo municipal. Logo na sequência aparece a Coreia do Sul, que adquiriu R$ 343,9 milhões (10,9% do total). Quanto à China, chama a atenção o maior país do mundo estar na terceira posição, e que historicamente é o maior parceiro comercial do município. Neste ano, foram vendidos R$ 265 milhões ao país (8,4%). Todos esses três destinos reduziram em pelo menos 35% a aquisição de produtos de Ponta Grossa. Isso significa que houve uma expansão de mercado com outros países. Um exemplo é a Índia, que aumentou em 54% os negócios, e comprou R$ 227 milhões em produtos.

PUBLICIDADE

Recomendados