Vazamento de esgoto em vila de PG revolta moradores

Ponta Grossa

12 de agosto de 2020 09:26

Da Redação


Relacionadas

Após obstrução de pista, carro bate em caminhão na BR-373

Chuva forte derruba marquise de loja em PG

Fortes chuvas afetam mais de 2,3 mil pessoas no PR

Câmara de PG vota hoje projeto da 'transparência da Sanepar'
UEPG firma convênio internacional com universidade
Copiosa Redenção recebe doação de projeto
HCorBJ amplia recursos para tratar do coronavírus
PUBLICIDADE

Problema recorrente do mau cheiro e o transtorno deixa moradores insatisfeitos com os serviços da empresa responsável

A vila Santa Mônica é uma das mais antigas da cidade e por conta disso há muitos problemas recorrentes que incomodam alguns moradores. Andréia Almeida de Lima é moradora da rua Babilônia e reclama que o esgoto da rua transborda frequentemente, e garante que a empresa responsável pelo saneamento da cidade não consegue resolver o problema. “Na verdade, não tenho respostas de nada porque eu ligo na Sanepar, abrem protocolo e falam que vão mandar arrumar, mas que isso pode durar até 24 horas”.

Além do transtorno da falta de resolução do vazamento, que provoca o alagamento na rua de terra batida, os moradores sofrem também com o mau cheiro que o esgoto deixa. Andréia disse que é muito difícil passar por essa situação pois não pode abrir a casa para arejar e nem seus filhos podem brincar fora de casa porque o cheiro é insuportável.

Andréia conta também que se sente indignada com a situação pois mora há sete anos no mesmo bairro e isso acontece frequentemente, e lamenta, assim como os moradores da rua Babilônia, que a empresa responsável não consegue sanar o problema. “Eu me sinto como todos os moradores, porque se eu moro há sete anos aqui e ainda não resolveram, imagina pra quem mora há mais tempo e o problema não se resolve”.

A Sanepar informou que a equipe de reparos já fez o desentupimento da rede de esgoto do local problemático e que aquela região está em análise porque apresenta vazamento recorrente. Técnicos da Sanepar estão estudando um projeto para aliviar a rede. Enquanto isso, a empresa diz que fará um monitoramento a cada 15 dias para evitar que esse tipo de transtorno volte a ocorrer.

PUBLICIDADE

Recomendados