Pré-candidato expõe divergências do Patriotas em PG

Ponta Grossa

18 de agosto de 2020 18:39

Afonso Verner


Relacionadas

PG soma mais duas mortes por covid-19 neste domingo

HU-UEPG desmente “fake news” sobre colapso

Dois rapazes são atacados a tiros na saída de casa em PG

Mulher é presa com mais de 11 quilos de drogas em PG
Morte de Paulão da Trem Fantasma comove PG
Toque de recolher: fiscais encontram nove bares abertos
Rapaz é morto a tiros no portão de casa em PG
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Grupo político não entra em consenso sobre disputa pela Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG)

Sérgio Leite, pré-candidato ao cargo de vereador pelo Patriotas, expôs novas divergências dentro do partido. A legenda tem se dividido entre as pré-candidaturas da empresária Keyla Sanson e do ex-comandante do 13º Batalhão da Infantaria Blindado, Daniel Moreira Marques -ambos querem disputar o cargo de prefeito(a) de Ponta Grossa em novembro deste ano.

Diante deste cenário, Sérgio compunha a chapa de pré-candidatos do partido ao cargo de vereador na cidade. “Após decidir por tentar mudar a vida das pessoas na cidade e por estar revoltado com a falta de ação dos políticos atuais, fui encaminhado para o Patriotas sob a menção de que este seria o partido que traria o Coronel Marques para liderar a mudança que precisamos”, contou Leite.

Sérgio conta que ao se filiar ao partido foram feitas “muitas promessas de democracia, liderança compartilhada e o apoio do Coronel [Daniel Marques”, expectativas que não se confirmaram. “Logo após a filiação e a confirmação da chapa montada, o que se seguiu foi à quebra do discurso e a mudança de rumos, levando o grupo a questionamentos inevitáveis no pequeno grupo de 35 pessoas do partido”, afirmou. 

“Um dos principais motivos que levaram muitas pessoas a se filiar ao partido Patriota, era a possibilidade de poder estar ao lado do Coronel Marques nesta eleição e contar com seu apoio”, defendeu Sérgio. O pré-candidato contou que os membros que demonstram apoio ao Coronel dentro do partido “passaram a ser perseguidos e punidos com ameaças de exclusão do grupo e com a retirada do nome da chapa de disputa”. 

“Inclusive há pessoas de fora do partido que se preocupam com a cidade e estão perplexos com a confusão que Keyla está fazendo. Sérgio Leite contou ainda que há outras pessoas de fora do partido que também querem Coronel Marques na disputa. Daniel foi comandante de uma das principais unidades do Exército Brasileiro e ia estrear em eleições no pleito de 2020.

Para Sérgio Leite, o partido tem sido comandado de forma inadequada em Ponta Grossa. “Ela [Keyla] se diz seguidora do nosso presidente [Jair Bolsonaro], mas na verdade compactua com a esquerda acabando inclusive com o Partido Patriotas e mostra por seus atos que está muito mais próxima do comportamento petista”, dispara o pré-candidato Sérgio Leite.

Keyla diz que ela será a pré-candidata

A executiva municipal do Patriota enviou uma nota oficial à imprensa em que nega que o ex-comandante do 13º BIB de Ponta Grossa, Daniel Moreira Marques, seria o pré-candidato do partido à Prefeitura. O ex-comandante tem expressado a vontade de ser o candidato da legenda a prefeito em suas redes sociais e em manifestações para a imprensa. Segundo Keyla Sanson, presidente da Executiva municipal e pré-candidata do partido, destacou que a documentação dos pré-candidatos já foi recebida pelo partido e que está se preparando para as convenções que já tem data marcada  - a própria Keyla é vista como pré-candidata da legenda.

PUBLICIDADE

Recomendados