Fagundes Cunha celebra aniversário e 10 anos como Desembargador

Ponta Grossa

18 de setembro de 2020 22:30

Da Redação


Relacionadas

Elizabeth quer simplificar abertura de empresas em PG

Certificação por competência pode ser solução para sistema educacional

Covid: 84,7% das vítimas em PG possuíam comorbidades

Mabel tem projeto para reduzir filas de espera com especialistas
PSOL vai para às ruas de PG com segurança sanitária
Professor Edson defende prevenção e inteligência contra a violência
Voepass antecipa para sábado início dos voos para Foz
Neste final de semana, o Desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Pós PhD, Dr. José Sebastião Fagundes Cunha, comemora em dose dupla o aniversário de vida (19/09) e 10 anos da posse como Desembargador do TJ-PR (20/09) Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Neste final de semana, o Desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Pós PhD, Dr. José Sebastião Fagundes Cunha, comemora em dose dupla o aniversário de vida (19/09) e 10 anos da posse como Desembargador do TJ-PR (20/09)

O aniversariante nasceu em Águas de Lindóia (SP),  é bacharel pela Faculdade de Direito do Sul de Minas, foi aprovado em concurso público como Delegado de Polícia, Professor da UEPG, Juiz de Direito; Fundador do Instituto Paranaense de Direito Processual, da Escola Judicial de América Latina – EJAL e da Escola Judicial do Mercosul; Pesquisador, autor de diversos livros e membro efetivo do Centro de Letras do Paraná, da Academia de Letras José de Alencar e titular da Cadeira nº 19 da Academia de Letras dos Campos Gerais.

Há 20 anos, Dr. José Sebastião Fagundes Cunha fundou o Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais e Faculdades Integradas dos Campos Gerais, CESCAGE. O empreendedor visionário criou e alicerçou a Fazenda Escola, Cescage Genética, Colégio Vila Militar-Cescage, Cescage On-line, Hospital Veterinário CesVet, Amor & Sabor, Parque Tecnológico Agro Inovação Sustentável e Rádio Educativa Cescage 107.7 FM. 

Lembrança:

“Sou, ainda, aquele jovem rebelde e assustado, que aos doze anos de idade presenciou seu pai ameaçado em sua existência, por uma revolução; que depois, certa manhã, pelo mesmo, foi introduzido em seu automóvel e no universo do Direito, quando disse: “identifique, meu filho, sua vocação, estude Direito e dê ao nosso País o seu concurso”. Conduziu-me à Faculdade de Direito onde me graduei”, relembra Fagundes Cunha.

PUBLICIDADE

Recomendados