Rede particular de PG e região perde mais de 680 alunos

Ponta Grossa

18 de setembro de 2020 20:40

Allyson Santos


Relacionadas

Grandes obras em PG geram mais de R$ 7,3 mi em ISS

Zampieri defende gestão enxuta e atenção aos bairros

Novos produtos elevam potencial turístico de PG

Confira a agenda dos prefeituráveis de PG para este sábado
Debate com vices apresenta propostas para o futuro de PG
“Direito à água e ao saneamento deve orientar ação do prefeito”, diz Gadini
Jovem cai de brinquedo erótico em motel de PG
Dados atualizados nesta sexta-feira (18) mostram um alto índice de transferências para a rede estadual de ensino Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Dados atualizados nesta sexta-feira (18) mostram um alto índice de transferências para a rede estadual de ensino durante a pandemia

O Núcleo Regional de Educação de Ponta Grossa (NRE) contabilizou 689 transferências de alunos para a rede estadual de ensino desde o dia 11 de março. Todos os estudantes estavam matriculados em escolas particulares.

Até o mês  de maio, somente 81 solicitações de mudança haviam sido registrados. As informações foram coletadas junto a Secretaria de Estado de Educação e Esportes (Seed). A NRE abrange 11 municípios, entre eles: Carambeí, Castro, Imbituva, Ipiranga, Ivaí, Palmeira, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Porto Amazonas, São João do Triunfo e Tibagi. 

A migração de alunos da rede privada para a rede pública de ensino também não para de crescer no Paraná. No dia 19 de maio, 7 mil estudantes tinham sido transferidos de escolas particulares para a rede estadual. Dados atualizados nesta sexta-feira (18) mostram que o número subiu para 13.333, um aumento de 90,4%.

Em contato por e-mail, a Seed afirmou que observa com atenção este movimento. A secretaria ressalta que os motivos para a migração intensa durante a pandemia variam a cada caso. A crise financeira ocasionada pela pandemia e o desemprego são alguns dos fatores apontados como agravantes.

“A Seed está sensível com a situação vivida por muitas famílias paranaenses - e seus filhos estudantes - por conta do novo coronavírus. Com a crise financeira, algumas famílias retiraram os filhos das escolas particulares sem matricular em outro estabelecimento, o que os deixou sem ensino”, ressalta.

O cenário do ensino no pós-pandemia não preocupa a administração da Seed, pois as vagas que estão sendo ofertadas condizem com a capacidade presencial conforme a Legislação vigente em relação ao número de alunos em sala de aula. Para acolher essas famílias, a Seed reforçou o trabalho nos núcleos regionais, que estão divulgando uma nova ferramenta on-line para ajudar as famílias que desejam transferir os alunos para o ensino público.


Saiba como fazer a matrícula

A Seed reforça aos pais que, para acessar aos formulários e fazer o requerimento de matrícula, é necessário estar logado em seu Gmail. Ao acessar o link da sua região no site da secretaria, serão pedidas informações sobre o aluno. Também serão coletados os dados dos pais e responsáveis e o bairro onde vive o aluno. Conforme for avançando, serão abertos campos para anexar comprovante de endereço e o documento do aluno. Também serão solicitados documentos do responsável, além de histórico escolar e carteira de vacinação.

PUBLICIDADE

Recomendados