Madero investirá mais R$ 100 mi em Ponta Grossa

Ponta Grossa

23 de setembro de 2020 20:50

Fernando Rogala


Relacionadas

A 25 dias do pleito, PG ainda não tem pesquisa eleitoral registrada

Professor Edson quer tecnologia para gerar emprego e renda

Colégio Agrícola abre inscrições para turma de 2021

Em vídeo, funcionários de CMEI incentivam exame de mama
UP prorroga inscrições para vestibular de Medicina em PG
PG ganha prêmio internacional de atenção aos animais
Semana da Criança do Humai encerra com inauguração
Investimento será para criar uma nova fábrica para servir como ‘backup’ para a atual Cozinha Central Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Doação de área de 245 mil m² onde será instalada a nova fábrica foi aprovada em primeira discussão ontem na Câmara

Vereadores aprovaram, em primeira discussão, nesta quarta-feira (23) a doação de um terreno para um novo investimento realizado pelo grupo Madero em Ponta Grossa. A área, localizada no Distrito Industrial, ao lado de onde está instalada a Crown, há poucos metros da Cozinha Central já instalada do Madero, tem um total de 245,6 mil metros quadrados. Em um primeiro momento, no local serão construídas três estruturas distintas: um viveiro, uma transportadora e estacionamento, e o início de um plano de contingência, ou seja, uma espécie de ‘fábrica backup’, para a Cozinha Central, caso ocorra algum problema nela, para que o grupo nunca deixe de produzir.

Neste primeiro momento, em um período de até dois anos, o investimento total aplicado será de R$ 100 milhões, com a geração de, pelo menos, 100 vagas de emprego diretas, conforme assinado no documento do Projeto de Lei número 195/2020. Da mesma forma, a empresa se compromete a utilizar esse terreno para construir um total edificado de 21,5 mil metros quadrados. A partir da publicação da lei, a empresa terá 180 dias para iniciar as obras, com conclusão prevista para, no máximo, dois anos. 

Para a transportadora e estacionamento, a empresa fez a solicitação de uma área de 50 mil metros quadrados, onde a área construída será de mil metros quadrados, e onde ficarão os caminhões da empresa, que fazem o transporte dos produtos para todo o país. Para o Viveiro, onde haverá o cultivo de plantas ornamentais, a área ocupada será de 10 mil metros quadrados, dos quais, 500 metros construídos. Já a fábrica ‘backup’, em uma área de 60 mil metros quadrados, o Madero construíra 20 mil metros quadrados. 

Contudo, esses R$ 100 milhões são apenas a parte inicial de um investimento maior que será realizado no local. Nos 150 mil m² restantes, a empresa pretende construir mais fábricas, em um prazo médio de tempo, dentro de dez anos. Entre essas novas unidades estão uma fábrica de molhos, fabrica de batatas congeladas, fábrica de laticínios, a centralização da engenharia do Grupo Madeiro, além de fazer um aporte para a construção de uma usina de geração de energia elétrica. Os valores totais a serem aplicados nesses outros investimentos não foram divulgados – porém, cabe lembrar que em maio de 2019, o Grupo assinou um protocolo com o Governo do Estado para o aporte de R$ 600 milhões na cidade.

Grupo inaugura o restaurante de número 200 no país

As obras deverão ser iniciadas com a conclusão das novas estruturas montadas na Cozinha Central do Madero, em fase final. Duas novas edificações foram erguidas desde 2019, e agora a empresa soma quase 50 mil metros quadrados de área construída no Distrito Industrial, em uma área superior a 80 mil m². Atualmente, a empresa gera mais de 400 vagas de emprego em Ponta Grossa. O grupo está presente em 70 cidades do país, incluindo o Restaurante Durski, o Madero e o Jeronimo, e neste mês de setembro, inaugurou seu restaurante número 200, em Barueri (SP).

PUBLICIDADE

Recomendados