PG lidera a geração de empregos no Paraná em 2020

Ponta Grossa

30 de setembro de 2020 15:36

Fernando Rogala


Relacionadas

PG confirma 50 novos casos de Coronavírus

Câmeras flagram furto em loja e perseguição de vigilante em PG

Em PG, mulher arromba casa de ex-companheiro na martelada

Rapaz é agredido e golpeado por faca em vila de PG
Pediatra de PG recebe alta e deixa leito de UTI Covid
Em patrulhamento, PM prende cinco pessoas por tráfico em PG
Dois homens são agredidos após briga em bar de PG
A indústria foi o segundo setor que mais gerou vagas neste ano na cidade Foto: Cristiano Barbosa
PUBLICIDADE

Com 2.309 vagas geradas entre janeiro e agosto, desempenho é o sétimo melhor do Brasil no ano

Ponta Grossa é a cidade que mais gerou novas vagas de emprego em todo o Estado do Paraná em 2020. De acordo com números divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), através da Secretaria de Trabalho, revelados nesta quarta-feira (30), entre os meses de janeiro e agosto o município registra um saldo positivo de 2.309 vagas. Esse saldo foi obtido diante das 24,1 mil admissões e 21,8 mil demissões no decorrer dos oito meses.

Essa posição de destaque não é exclusividade no Estado. Em âmbito nacional, entre as 5.570 cidades, Ponta Grossa ocupa a sétima colocação, atrás apenas de Itabirito (MG), Chapecó (SC), Cristalina (GO), Lençóis Paulista (SP), Parauapebas (PA) e a única capital da lista, São Luiz (Maranhão), que é a líder, com 5,8 mil vagas geradas. A diferenças de novos postos de trabalho para a terceira colocada (Lençóis Paulista) é de 349 postos de trabalho.

Entre os setores que mais geraram vagas no acumulado do ano na cidade, destacam-se a indústria, com 246 postos positivos, e a construção civil, que puxou para cima esses números, com 3.133 novas oportunidades criadas nos oito meses, reflexo das obras em rodovias, construção de edifícios comerciais e residenciais, e também de empresas se instalando ou ampliando. Por outro lado, os setores que mais tiveram perdas foram o comércio, com 661 vagas encerradas, e os serviços, com 429 fechamentos.

Diferente de Ponta Grossa, as grandes cidades paranaenses, com mais de 200 mil habitantes estão, em sua maioria, com números negativos. Com exceção de Cascavel, que está positiva, com 228 vagas criadas no ano, municípios como São José dos Pinhais, Maringá, Londrina, Foz do Iguaçu e Curitiba acumulam perdas superiores a 3,5 mil, cada. Somando o saldo anual desses cinco últimos municípios, foram 34,1 mil vagas perdidas neste ano. 

Apenas neste mês de agosto, Ponta Grossa gerou 1.220 vagas de emprego, valor que é o segundo maior do Estado do Paraná, atrás apenas de Curitiba, que gerou 3,2 mil vagas de emprego. No mês passado, no maior município dos Campos Gerais, foram 3.563 admissões, ante 2.343 demissões. Entre os setores, o que mais puxou também foi a construção, com 721 novos postos, mas todos os outros setores geraram postos: agropecuária com 9, comércio com 225, indústria com 182, e serviços, com 83.

Marcelo Rangel, prefeito de Ponta Grossa, mostrou-se muito feliz com o resultado. “É uma grande honra e o reflexo de todo o trabalho que estamos desenvolvendo junto às empresas e indústrias de Ponta Grossa, principalmente neste período difícil pelo qual passamos e que muitas pessoas se sentiram inseguras em relação ao mercado de trabalho”, disse, lembrando que em todo o ano, apenas em abril e maio o município teve mais demissões do que admissões. “Isso é o resultado das ações desenvolvidas junto à Agência do Trabalhador e Escola de Qualificação Profissional, que fornecem condições para que cada vez mais pessoas encontrem uma posição no mercado”, concluiu.


Paraná e Brasil

Dados do Caged mostram que, em âmbito nacional, no acumulado do ano o saldo está negativo em -849.387. De janeiro a agosto, foram 9.180.697 admissões e 10.030.084 desligamentos. Somente no Estado do Paraná, o saldo está negativado em 16.843. Por outro lado, somente em agosto, o saldo positivo em 249.388 novos postos de trabalho, resultado de 1.239.478 admissões e 990.090 desligamentos - crescimento puxado pelo aumento das contratações que seguem em tendência de crescimento desde maio. O estoque de empregos formais no país chegou a 37.960.236. Quando ao Paraná, foram 17 mil vagas geradas em agosto, o quarto melhor resultado do Brasil, atrás apenas de Santa Catarina (18,3 mil), Minas Gerais (28,3 mil) e São Paulo (64,5 mil). 

Este é o terceiro mês consecutivo que o Paraná apresentou saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada. De acordo com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, a evolução dos últimos 90 dias pesquisados pelo órgão nacional reforça a retomada da economia paranaense. Entre junho e agosto o Paraná criou 28.341 vagas, sendo que mais da metade em agosto. “São números bastante representativos e significativos, que mostram que as decisões tomadas pelo Governo do Estado estavam certas, mesmo diante de um cenário de incertezas decorrente da pandemia. A evolução é nítida e esperamos fechar o ano com uma taxa ainda mais robusta”, afirmou o governador.

PUBLICIDADE

Recomendados