PG ainda não tem pesquisa eleitoral registrada

Ponta Grossa

20 de outubro de 2020 15:10

Afonso Verner


Relacionadas

Saiba o que é permitido e proibido neste domingo

Antes de sair de casa, consulte seu local de votação

Barroso pede que eleitores não deixem de votar

PG vai às urnas para escolher entre Mabel ou Elizabeth
Pandemia impede que 9,5 mil ponta-grossenses votem
PG supera 9 mil casos confirmados de covid-19
Homem é preso em convento após matar rapaz em PG
Nos anos anteriores, pesquisas eram costumeiramente realizadas no Calçadão Foto: Cristiano Barbosa / aRede
PUBLICIDADE

Entre as grandes cidades do Paraná, Ponta Grossa é a única que não tem pesquisa registrada junto ao TSE

Viu uma pesquisa eleitoral sobre Ponta Grossa? Acredite, ela é falsa! Um levantamento do portal aRede mostra que Ponta Grossa é a única grande cidade do Paraná (com possibilidade de segundo turno) sem registro de pesquisas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com cinco chapas no pleito e 464 candidatos a vereadores(as), o município ainda não tem nenhuma pesquisa eleitoral registrada junto ao TSE.

Em 2020, a legislação obriga que a empresa responsável pela pesquisa de intenção de voto registre a atividade junto ao Tribunal. A legislação prevê que as entidades e empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às Eleições 2020 ou a candidatos, para conhecimento público, devem registrar, junto à Justiça Eleitoral, as informações até cinco dias antes da divulgação.

Entre as grandes cidades paranaenses, Ponta Grossa é a única que ainda não tem pesquisa registrada. Segundo o sistema do Tribunal Superior Eleitoral, Londrina já tem três pesquisas registradas, Maringá tem duas, Foz do Iguaçu também registra duas pesquisas e Cascavel, município com eleitorado mais próximo em termos numéricos do de Ponta Grossa, soma quatro pesquisas registradas. 

Já a capital, Curitiba, tem sete pesquisas registradas e aptas a serem divulgadas. Em uma cidade como Cascavel, com quase 230 mil eleitores aptos a votarem, mostram que uma pesquisa de opinião pode custar entre R$ 7 a R$ 8,5 mil. Para registrar a pesquisa, o Instituto responsável tem que registrar uma série de informações junto ao TSE, como o valor pago e o contratante. 

Além disso, a empresa também deve fornecer dados como metodologia, data de envio da pesquisa, estatístico responsável, plano amostral quanto a sexo, idade, grau de instrução e nível econômico do entrevistado. Além de também ter que informar perspectivas como o grau de confiança e a margem de erro da pesquisa contratada. Por fim, a empresa contratada precisa ainda divulgar dados relativos aos municípios e bairros abrangidos pela pesquisa. 

Cidade mantém média histórica de prefeituráveis

Desde 2000, Ponta Grossa mantém uma média de 5 a 6 candidatos(as) ao cargo de prefeito. Desde o pleito de 2000, o município tem variado no registro de seis a cinco candidaturas por eleição, apesar das mudanças nos partidos e nos grupos políticos representados. Já o número de candidatos a vereador cresceu significativamente nos últimos anos após o aumento no número de vagas no Legislativo Municipal.

PUBLICIDADE

Recomendados