Região pode sediar investimento de R$ 300 mi da Nissin

Ponta Grossa

22 de outubro de 2020 19:50

Fernando Rogala


Relacionadas

Carro capota na estrada do Alagados e motorista fica ferido

FMS confirma morte de idosa por covid-19 em PG

Sede de clube de motociclistas é destruída por incêndio

Rede Massa/SBT investe mais uma vez em qualidade em PG
Rapaz morre em acidente em PG no dia do aniversário
Jovem de PG desaparece no mar em Guaratuba
Idoso de 90 anos é a 155ª vítima da covid-19 em PG
Diretores da empresa reuniram-se com representantes da CCIBJ-PR em janeiro Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Grupo busca área de 200 mil m² para instalar unidade fabril. Perspectiva é de que 400 vagas de empregos diretas sejam geradas 


Municípios da região dos Campos Gerais estão no radar da Nissin Foods do Brasil, fabricante de massas alimentícias, parte da multinacional japonesa Nissin Food Products Corporation Limited. O grupo já visitou a região e teve reuniões com lideranças, para a instalação de uma indústria de massas, com um investimento estimado em R$ 300 milhões, que irá gerar, já em um primeiro momento, com o início das operações, cerca de 400 vagas de emprego diretas. Entre as cidades que podem receber o investimento estão Ponta Grossa, Irati e Castro.

A empresa já negocia com o Governo do Estado há alguns anos, mas as primeiras manifestações mais claras sobre o interesse da empresa em investir no Estado do Paraná ocorreu no início de janeiro, quando os executivos da empresa no Brasil, Yoshiaki Higashide e Hiroshi Takabatake, estiveram reunidos com representantes da Câmara do Comércio e Indústria Brasil Japão do Paraná – entre eles Arata Hara, presidente da CCIBJ-PR. Segundo Hara, os executivos da empresa estão buscando uma área com aproximadamente 200 mil metros quadrados para implantação de uma planta industrial.

Já dessa reunião, participaram representantes de municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Fazenda Rio Grande, Campina Grande do Sul e São José dos Pinhais), e também de Castro. Posteriormente eles visitaram municípios, para ver áreas que poderiam sediar o investimento, bem como entraram em contato com municípios, para iniciar as negociações. Entre esses municípios esteve Ponta Grossa. Depois, em agosto, os diretores estiveram reunidos em Irati, com o prefeito do município, Jorge Derbli, além do diretor-presidente da Invest Paraná, José Eduardo Bekin, e o deputado Artagão Júnior, bem como da indústria de grãos Moageira, de Irati.

A reportagem do Jornal da Manhã e Portal aRede entrou em contato com a assessoria de imprensa da Nissin, que não deu mais detalhes sobre os investimentos. A empresa resumiu-se a informar que “a Nissin está sempre explorando oportunidades para atender melhor o consumidor brasileiro”. A reportagem também entrou em contato com a Invest Paraná, que não confirmou negociações. “Nossa instituição atua constantemente no atendimento a municípios e potenciais investidores, sempre em busca da missão de promover o desenvolvimento econômico e social do Estado do Paraná. No entanto, no caso específico dos questionamentos apresentados, informamos que não há atualmente contato entre a Invest Paraná e a empresa Nissin”, respondeu a instituição.


Ponta Grossa tem grandes chances de receber indústria

Representantes da Nissin já estiveram em Ponta Grossa no início do ano, para averiguar possíveis áreas para a instalação da indústria. Questionado sobre as negociações e reais possibilidades de Ponta Grossa receber a empresa, o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, José Loureiro, afirmou que as chances são grandes. “Eles estiveram vendo áreas e preços, mas estão em estudo ainda. Porém, Ponta Grossa tem grande chance de ser contemplada, principalmente pelo moinho de trigo, além da logística diferenciada, e a disponibilidade de gás natural”, informou. Já a respeito das negociações, Loureiro acredita que qualquer tipo de anúncio apenas será feito após as eleições. “Eles também estão negociando benefícios com o Governo do Estado, e querem saber as propostas dos municípios, o que nós conseguimos oferecer de diferencial”, explicou o secretário municipal.


A empresa

A Nissin do Brasil, parte da multinacional japonesa fundada há mais de 70 anos, de destaca no Brasil como líder no segmento de macarrão instantâneo. Hoje, a empresa produz mais de 50 produtos diferentes, dona de marcas como ‘Nissin Lámen’, ‘Cremoso’, ‘Cup Noodles’, ‘Talharim’, ‘De Boas’, entre outros. Atualmente, a empresa possui duas fábricas no Brasil, uma em Ibiúna (São Paulo) e outra em Glória do Goitá (Pernambuco).

PUBLICIDADE

Recomendados