Homem faz família de refém e ameaça se matar em PG

Ponta Grossa

27 de outubro de 2020 16:15

Da Redação


Relacionadas

Agenda das prefeituráveis de PG para essa sexta

Advogado denuncia suspeita de golpe do “primeiro emprego” em PG

Justiça Eleitoral ajusta últimos detalhes para 2º turno em PG

Palladium promove a "Maior Black Friday do Mundo Real"
13º injetará mais de R$ 126 mi na economia de PG até dia 30
Biomédico realiza testes de Covid por R$ 50 em dezembro
PRM Empreendimentos traz amplos projetos para PG
Após liberar a vítima, o homem continuou no interior da residência ameaçando atentar contra a própria vida Foto: Cristiano Barbosa/aRede
PUBLICIDADE

Após liberar a vítima, o homem continuou no interior da residência ameaçando atentar contra a própria vida

Um militar aposentado fez uma família de refém na tarde desta terça-feira (27), no Jardim Ibirapuera, região de Oficinas, em Ponta Grossa. Após liberar uma mulher e uma criança, o homem continuou no interior da residência ameaçando atentar contra a própria vida

Equipes da Polícia Militar e do Choque estavam no local desde o início do caso para negociar com o homem. Socorristas do Siate aguardaram para realizar o atendimento médico ao autor do ato. Por volta das 16h30, o homem se entregou e as equipes da PM farão os encaminhamentos necessários. As motivações para o ato ainda não foram explicadas.

Comandante do 1º BPM acompanhou situação

O comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar (1º BPM), Tenente-coronel Leonel Beserra, esteve no local. "Nós tivemos uma crise envolvendo um policial da reserva remunerada. O princípio da crise foi uma discussão familiar, tendo no começo da crise sua própria família como refém e, em seguida, na chegada dos policiais na primeira interversão, na primeira conversa ele já liberou a família sendo a esposa e três filhos", afirmou.

Beserra contou que a partir daí iniciou-se uma negociação com todo o aparato de isolamento de local, com acionamento da ambulância do Siate como manda o protocolo. "Após muitos contatos, o militar aposentado reconheceu o seu erro e acabou por se desarmar e mencionou o motivo da situação de ele estar transtornado, ele contou que o surto teria sido causado pela falta de medicação controlada", disse.

“Nesse tipo de situação nós, policiais militares, temos que adotar uma intervenção diferenciada e os nossos policiais fizeram um excelente trabalho e, graças a Deus, ninguém se feriu", contou Beserra.

PUBLICIDADE

Recomendados