PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Setor hoteleiro de PG será potencializado com voo de Foz

Ponta Grossa

03 de novembro de 2020 19:29

Fernando Rogala


Siga o a rede no Google News

Relacionadas

PR reduz ICMS sobre gasolina e energia para 18%

Agência do Trabalhador abre 60 novas vagas nesta sexta

PG inicia vacinação de 4ª dose para 40+ na próxima semana

Coronel Cláudio participa de ação descentralizada da FASPG
Pais de Rômulo serão ouvidos pela justiça nesta sexta
Mistério do bolo: Paróquia busca por quem achou aliança
Mulheres trocam socos em ônibus da VCG; veja vídeo
Turistas poderão pegar o voo em Foz do Iguaçu para vir para Ponta Grossa Foto: Fernando Rogala
PUBLICIDADE

Nova rota aérea, iniciada no último dia 24, traz otimismo a lideranças e empresários do setor na cidade 


O novo voo comercial operado pela Voepass no Aeroporto Sant’Ana, entre Ponta Grossa e Foz do Iguaçu, traz ânimo ao setor hoteleiro de Ponta Grossa. Para lideranças do setor e empresários, essa novidade deverá ampliar a vinda de turistas para o município, não só moradores de Foz e região, mas especialmente aqueles que viajaram para Foz do Iguaçu, brasileiros ou turistas internacionais, e passam a ver em Ponta Grossa uma opção viável, uma hora distante de Vila Velha. Além disso, por ser uma escala entre São Paulo (Congonhas) e a cidade da tríplice fronteira, há uma possibilidade que o turista acabe permanecendo na região.

O otimismo, informa Daniel Wagner, presidente do Sindicato Empresarial de Hotelaria e Gastronomia dos Campos Gerais, e também empresário do setor, se deve especialmente pela praticidade trazida pelo voo. “É uma forma de facilitar o acesso de pessoas à nossa cidade. As pessoas nem sempre estão dispostas a fazer uma viagem de muitas horas de carro, e agora ter uma viagem de uma hora é excepcional”, relata Wagner. 

Além disso, o fato de ser uma escala entre a maior cidade do Brasil, e o segundo ponto turístico mais visitado do país, é algo muito positivo. “Há um fluxo grande de quem vai de São Paulo para Foz. Mesmo a pessoa que vai direto, desperta na pessoa a curiosidade de, numa outra vez, virem para cá, tanto para quem está indo ou vindo. E as pessoas podem estenderem essa passagem por Ponta Grossa, para visitar a cidade e a região”, completa, afirmando que isso poderá se tornar ainda mais viável com futura ampliação da frequência dos voos entre as cidades.

Nesses últimos feriados prolongados, Daniel Wagner ressaltou um crescimento na hospedagem na cidade, que se tornaram os melhores dias desde o início da pandemia. São pessoas, explica, que buscam o turismo de natureza estruturado, tal como Vila Velha, Buraco do Padre, Porto Brazos, Parque Histórico de Carambeí. E o fato do Parque de Vila Velha passar a ser gerenciado pela Eco Parques, deverá ampliar a visitação de ambos os parques administrados. “Tenho certeza que a empresa gestora do Parque de Vila Velha, também sócia do grupo que atua nas Cataratas, vai ter know how de fazer promoções conjuntas”, ressalta. 

Recém inaugurado em Ponta Grossa, o Hotel Ibis espera colher os frutos do novo voo. Maíra Sidrim, gerente geral do ibis Ponta Grossa destaca como importante ao setor. “Estamos buscando parcerias com operadoras de turismo e empresas das duas cidades para incentivar o turismo em Ponta Grossa utilizando o atrativo competitivo de Foz do Iguaçu, que é dos destinos turísticos mais procurados do Paraná”, informa.


Setor hoteleiro de Foz também espera alta

A mesma expectativa que há em Ponta Grossa, também há entre os empresários em Foz do Iguaçu. Felipe Gonzalez, Presidente do Visit Iguassu (Iguassu Convention & Visitors Bureau), ex-secretário de Turismo do município, também espera que o voo se torne diário, em breve. “Essa rota possui um grande potencial de pessoas que estão ávidas para vir, muitas vezes a negócio, ou mesmo a celebrar em Foz do Iguaçu”, informou. Por sua vez, Thiago Gonçalves, gerente de vendas da área de lazer do Rafain Palace Hotel & Convention, de Foz do Iguaçu, destacou Ponta Grossa como um importante ‘polo emissor’ para Foz. “Com a nova rota aérea a expectativa é de aumento na demanda, pois até então era um público exclusivamente rodoviário e com o voo facilita, pois é um trecho de curta duração e com preços acessíveis”, alegou.

PUBLICIDADE

Recomendados