Candidatos entram em semana decisiva da campanha eleitoral

Ponta Grossa

06 de novembro de 2020 21:00

Afonso Verner


Relacionadas

'Arena Tardezinha' é a nova praia urbana de PG

Prefeitura de PG perde R$ 90 mi com inadimplência

Sanepar parcela dívidas em até 60 vezes

JK quer reconhecimento do último faxinal ponta-grossense
PG garante castração gratuita de cães e gatos
Saiba quantas doses da vacina contra covid PG e região vão receber
Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’
Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Prefeituráveis e candidatos(as) a vereador(a) iniciam fase final da campanha. Primeiro turno acontece no próximo domingo (15)

Os candidatos entram na reta final de campanha a partir deste sábado (7), com menos de 10 dias para o primeiro turno. No próximo dia 15, os mais de 239 mil eleitores ponta-grossenses vão às urnas para escolher 19 vereadores e também um novo prefeito(a) e vice-prefeito. Com isso, os candidatos devem intensificar ações de rua em busca do convencimento do eleitorado. 

Em Ponta Grossa há cinco chapas disputando o comando da Prefeitura, além de 466 candidaturas registradas para disputa do cargo de vereador(a). Entre os concorrentes que disputam uma das 19 vagas na Câmara, há 11 candidaturas indeferidas e outros 20 candidatos que disputam o pleito com recurso e ainda quatro candidatos(as) que renunciaram ao pleito e estão fora da disputa. 

Entre os prefeituráveis, cada chapa tem uma estratégia para os últimos dias de campanha. Mabel Canto (PSC) e Pietro Arnaud (PSB) devem seguir cumprindo agenda nos bairros da cidade naquilo que classificam como “campanha franciscana”. A dupla tem apostado em caminhadas na periferia e em uma campanha menos custosa que a dos principais concorrentes. 

Por sua vez, Marcio Pauliki (SD) e Ricardo Zampieri (Republicanos) seguem com o intuito de visitar todos os bairros e vilas da cidade até o final da campanha. O empresário e o vereador tem percorrido várias vilas da cidade, além de intensificarem agendas e compromissos com lideranças de diversos setores. A campanha da dupla também foi aquela que mais investiu recursos em impulsionamento nas redes sociais - quase R$ 40 mil até o momento. 

Já a campanha de Elizabeth Schmidt (PSD) e do Capitão Saulo (também do PSD) seguirão apostando no que tem sido feito até agora: carreatas nos bairros e visitas à lideranças políticas e comunitárias. “Avançamos muito nos últimos anos e queremos avançar ainda mais, ampliando os projetos que deram certo e implementando o que a cidade ainda precisa", diz professora Elizabeth.

Por sua vez, a campanha do PSOL, liderada por Professor Gadini e Professor Lineu Kieras, deve seguir apostando no convencimento dos indecisos. “A campanha do PSOL na reta final em PG aposta em atingir o grande número de eleitores indecisos, que estão distante da disputa por desmotivação e inclusive pelo modelo desigual que a eleição repete na cidade”, diz Gadini

PT quer comunicação direta com o trabalhador

Já o PT e o PCdoB seguem em campanha com a chapa de Professor Edson Armando (PT) e Pastor João Carlos (PCdoB). “O PT e o PcdoB têm suas origens na luta popular pela democracia e sempre se destacaram por propor a distribuição de renda com objetivo de tornar a sociedade mais justa e igualitária. Assim sendo, a estratégia é intensificar a comunicação com os trabalhadores direta ou indiretamente através de sindicatos, associações, igrejas e outras agremiações que os representem”, afirma Edson Armando. 

PUBLICIDADE

Recomendados