Temas nacionais ‘somem’ da eleição de Ponta Grossa

Ponta Grossa

13 de novembro de 2020 14:54

Afonso Verner


Relacionadas

UEPG emite nota sobre morte de motorista da instituição

38ª Festa da Uva encerra no domingo em PG

Vídeo mostra acidente entre caminhões na BR-376

Deputado estadual Hussein Bakri visita a Câmara de PG
APG Proteção Veicular indica manutenções preventivas
GM prende rapaz que vendia drogas no cartão em PG
Idoso é atropelado por moto na estrada para Itaiacoca
Foto: Otto Drone
PUBLICIDADE

Apesar da forte polarização em 2018, temas nacionais ‘sumiram’ diante dos problemas diários da população princesina

Após uma eleição paradigmática em 2018, quando um candidato com pouquíssimo tempo de rádio e TV como Jair Bolsonaro (PSL) se elegeu presidente, a expectativa era que houvesse uma forte presença de temas nacionais. Ao contrário do esperado, os temas nacionais e menos palpáveis ‘sumiram’ do debate eleitoral de Ponta Grossa em 2020. Além de pequenas ‘indiretas’ entre os prefeituráveis, temas do tipo não figuraram na campanha do primeiro turno.

Discussão sobre problemas da população

Em suma, 90% da campanha para a Prefeitura tratou de problemas locais, como os buracos de rua ou o postinho de saúde fechado no bairro. O esperado de fato era que os candidatos a prefeito(a) estivessem mais preocupados com temas locais do que com aqueles que advém de Brasília. Quando temas nacionais entraram em debate, a discussão foi rápida e sem aprofundamento. 

Embate entre ‘esquerda x direita’

Em suma, havia a expectativa era que houvesse forte contraposição entre candidatos de esquerda e de direita, com alguns dos prefeituráveis se colocando ao “centro”. Apesar de algumas ‘cutucadas’, especialmente nos debates entre candidatos a vice realizados pelo Portal aRede, Jornal da Manhã e Doc.Com, o embate mais ideológico acabou ‘passando à margem’ da campanha como um todo. 

Zampieri figurou como representante do Bolsonarismo

Dono de uma votação expressiva no pleito de 2020 em Ponta Grossa, Jair Bolsonaro era tido como uma figura de “orientação” para vários candidatos - há inúmeros candidatos a vereador que representam ideias bolsonaristas. Na disputa pela Prefeitura, o único bolsonarista que conseguiu destaque foi Ricardo Zampieri (Republicanos) que é vice na chapa de Marcio Pauliki (SD). 

Embate com Lineu Kieras e Pastor João Carlos

Ricardo foi o responsável por se envolver com embates mais ideológicos com os colegas, também candidatos a vice. Em mais de uma oportunidade, Zampieri debateu usando expressões como “esquerda” e “comunismo” com os candidatos Lineu Kieras (PSOL) e Pastor João Carlos (PCdoB).

Defesa do legado petista

Por sua vez, Professor Edson ‘nacionalizou’ o debate ao defender o legado do Partido dos Trabalhadores (PT). Sem optar pelo embate, Edson expôs os feitos do PT em várias áreas, passando pela habitação, chegando à criação de empregos e terminando na distribuição social de renda. 

PUBLICIDADE

Recomendados