PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Mabel Canto cita prioridade na Saúde e força da mulher

Ponta Grossa

16 de novembro de 2020 19:53

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Caminhão com carga de iogurte tomba na região do Sabará

Elizabeth se manifesta sobre mobilização de empresários

Sanepar realiza obras de interligação no domingo

Manjabosco apresenta dados da Covid-19 à AMPG
Egresso da UEPG desenvolve 'torre' que inativa coronavírus
Homem é preso por estuprar enteada de seis anos em PG
Feira de suculentas marcada para este sábado é cancelada
Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Candidata chega ao segundo turno credenciada pelo voto de 61.702 ponta-grossenses no primeiro turno

Mulher mais votada da história para a Prefeitura de Ponta Grossa, a candidata Mabel Canto (PSC) atraiu o voto de 61.702 ponta-grossenses (37,27% do eleitorado), nas urnas neste domingo (15). Em entrevista ao Portal aRede e ao Jornal da Manhã, a prefeiturável falou sobre diversos tópicos pertinentes a sua campanha, a valorização da mulher na política e qual será sua prioridade se assumir o Palácio da Ronda a partir de 1º de janeiro de 2021.

Para abrir a conversa, Mabel destacou sua idade ao segundo turno. “Primeiramente eu tenho que sempre agradecer a população de Ponta Grossa por esse resultado muito expressivo. Fiquei muito feliz, honrada. Claro que isso nos traz muita responsabilidade à frente de toda a população da nossa cidade. Eu, desde o início do meu mandato como deputada tenho falado muito do empoderamento da mulher, da mulher na política”, aponta a candidata.

O tema da mulher foi amplamente discutido por Mabel: ela fez questão de parabenizar sua irmã, Joce Canto (PSC), que foi a terceira vereadora mais votada (primeira entre as mulheres) para a Câmara Municipal de Vereadores, com 3.394 votos. “Eu fico muito feliz justamente pela bandeira da mulher que eu trago, especialmente e pessoalmente por ser minha irmã. A gente sabe o quanto ela batalhou por essa eleição. Ela vai fazer um bom trabalho, está preparada. E, a Câmara se renovou mais uma vez, vejo com grande importância. Renovação, alternância de poder, é básico para a democracia”, pontua a postulante ao cargo de prefeita.

Sobre a composição de governo, Canto foi enfática: não há nada a ser decidido antes de ganhar a eleição. Contudo, sua equipe é técnica e a ajuda a propor o melhor plano de governo. “Na verdade, não temos nenhum secretário escolhido. Isso é algo que frisamos desde o início. Temos uma equipe técnica, sim, que está nos ajudando, que construiu o plano de governo. Mas, temos pessoas a todo momento chegando na nossa campanha, incorporando esse espírito e estamos conversando com todo. Para escolher o secretariado, primeiro precisamos ganhar a eleição”, complementa.

Para fechar, a mulher mais votada da história de Ponta Grossa aponta qual será sua prioridade para a gestão: a saúde. “Pelo momento que nós vivemos, por tudo que a gente já viu na área saúde. Hoje temos unidades de saúde fechadas na nossa cidade, falta de remédios e médicos nos postos de saúde. Ou, temos um médico, atendendo uma vez por semana. Por exemplo, esses dias eu estive no Periquitos. Os moradores me falaram que lá só tem médico na quinta-feira. Então eles só podem ficar doentes na quinta-feira”, conclui Mabel.

Oposição

Para a candidata Mabel Canto, as urnas mostram que o povo de Ponta Grossa quer mudança no atual grupo governista. “Esse primeiro turno mostrou que a população, em torno de 70% da população, quer mudança, renovação do grupo à frente da Prefeitura. Se somar todos os votos da oposição nós temos quase 70%, então de fato há uma perspectiva de mudança. Fico feliz em estar encabeçando essa oposição”, aponta. Somando os 37.27% de Mabel com dos candidatos Marcio Pauliki (26,76%), Professor Gadini (3,04%) e Professor Edson (1,79%), a oposição em Ponta Grossa atingiu 68,86% dos votos válidos.

PUBLICIDADE

Recomendados