PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Pandemia liga sinal de alerta para violência sexual infantil

Ponta Grossa

29 de agosto de 2020 20:26

Da Redação


Relacionadas

Ponta Grossa sedia Circuito de Xadrez neste sábado

Moradores da Ronda pedem melhorias para rua do bairro

Rodrigo Manjabosco é ouvido pela CPI da Saúde

Festas religiosas movimentam três paróquias da região
Passeio ciclístico inaugura ciclofaixa Estelio Viatroski
Santa Casa realiza solenidade com deputado Plauto Miró
Prefeitura aumenta repasses para 23 entidades sociais de PG
Número de denúncias caiu pela metade durante o período de pandemia Foto: Arquivo/EBC
PUBLICIDADE

Sem a vigilância das escolas, polícia teme que denúncias de abusos de crianças e adolescentes percam a força durante a pandemia

Enquanto a maioria das pessoas está preocupada com as medidas de prevenção para evitar a propagação do novo coronavírus e, ao mesmo tempo, sem deixar a economia do país entrar em frangalhos, as autoridades policiais estão atentas a outro fator que pode ser influenciado pela pandemia de covid-19 – e tão grave e preocupantes quanto os fatores citados anteriormente. Trata-se do possível aumento no número de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

O maior problema nesse caso é que, segundo a polícia, as escolas têm papel fundamental para que esses casos cheguem às autoridades. Muitas vezes, as vítimas sofrem os abusos dentro da própria casa, e recorrem à escola para pedir socorro aos professores. Com as aulas suspensas, os crimes cometidos dentro de casa por pais, padrastos, avôs e tios tendem a ficar sob as sombras do lar, já que a criança dificilmente terá condições de pedir ajuda dentro da própria família.

Números revelados recentemente pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) revelam que o número de denúncias entre março e maio deste ano foi apenas a metade das denúncias que ocorreram no mesmo período de 2019, com as escolas em funcionamento. Enquanto esse ano houve apenas 17 denúncias de abusos contra crianças e adolescentes, no ano passado esse número foi de 34. A realidade também é semelhante no Paraná. Pegando este mesmo recorte, houve 129 denúncias feitas pelo Disque Denúncia (via 181) de crimes contra essa faixa etária, enquanto o ano passado teve 144 denúncias.

PUBLICIDADE

Recomendados