Comissão conclui CPI do Estar Digital e aponta providências

Ponta Grossa

23 de novembro de 2020 19:35

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

PG conquista nova viatura para a Patrulha Maria da Penha

PG confirma três óbitos pela Covid neste domingo

Elizabeth lamenta morte por Covid de engenheiro em PG

Em PG, homem é encontrado morto dentro de residência
Engenheiro morre por complicações da Covid em PG
Festa da Uva encerra 38ª edição neste domingo
Fiscalização flagra desrespeito ao toque de recolher em PG
Entre os procedimentos que a CPI elenca como “subutilizada”, está a falta da modalidade de pagar o estacionamento digital com o cartão de crédito Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Relatório final aponta que sistema implementando em PG conta com 'subutilização' de procedimentos

Foi entregue na Câmara de Vereadores de Ponta Grossa, o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o EstaR (Estacionamento Regulamentado) Digital no município. A comissão contava com os legisladores Ricardo Zampieri como presidente, Valtão na relatoria e composição de Sargento Guiarone, Vinicius Camargo e Pastor Ezequiel Bueno.

O pré-projeto elaborado por responsáveis da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT) em Ponta Grossa, cita o documento, não comportava todas as funcionalidades que o sistema poderia oferecer ao usuário ponta-grossense. Segundo informa o relatório, o projeto de instalação do Estar Digital deveria ter um “aprofundamento técnico do projeto e amplo debate para maximizar a utilização dos softwares que seriam objeto do procedimento licitatório”.

Entre os procedimentos que a CPI elenca como “subutilizada”, está a falta da modalidade de pagar o estacionamento digital com o cartão de crédito. Dentro desse contexto, o relatório cita que não há como “imputar qualquer ato danoso à empresa contratante”, elencando que os problemas no processo licitatório.

A CPI também apontou que os pontos de vendas (PDVs), que fazem a venda dos créditos para o estacionamento rotativo, poderiam incluir outras funções e serviços para o cidadão. Por exemplo, o pagamento de impostos e taxas, como IPTU, ISS, ITBI, além de recebimento de talões de água e luz, mostrariam que o sistema atual do EstaR Digital está subutilizado.

Ainda, dentro deste contexto, há a sugestão além da integração dos serviços públicos nos PDVs: a recarga dos cartões de transporte coletivo em Ponta Grossa. Para complementar, a CPI pede uma revisão nos procedimentos internos da AMTT. Conforme conclui o relatório, o objetivo é evitar irregularidades e potenciais prejuízos à população.

Posicionamento da AMTT

O Portal aRede entrou em contato para saber o posicionamento da AMTT sobre o documento final da CPI. Em nota, o órgão se posicionou que irá se pronunciar quando tiver acesso ao relatório.

“A Prefeitura de Ponta Grossa, através da Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT), informa que ainda não teve acesso ao relatório final da CPI. Sendo assim, a AMTT aguarda a realização dos devidos encaminhamentos e irá se posicionar somente após a análise do conteúdo do documento e a conclusão dos respectivos procedimentos”.

PUBLICIDADE

Recomendados