PG tem 2º turno inédito para eleger primeira prefeita da história

Ponta Grossa

27 de novembro de 2020 15:36

Afonso Verner


Relacionadas

UEPG emite nota sobre morte de motorista da instituição

38ª Festa da Uva encerra no domingo em PG

Vídeo mostra acidente entre caminhões na BR-376

Deputado estadual Hussein Bakri visita a Câmara de PG
APG Proteção Veicular indica manutenções preventivas
GM prende rapaz que vendia drogas no cartão em PG
Idoso é atropelado por moto na estrada para Itaiacoca
Foto: Cristiano Barbosa / aRede
PUBLICIDADE

Os mais de 239 mil eleitores da cidade vão às urnas no domingo para escolher a 42º prefeita, a primeira mulher a comandar o município na história

Os 239.611 eleitores(as) aptos a votarem em Ponta Grossa escolherão a primeira prefeita da história da cidade no próximo domingo (29). Com Mabel Canto (PSC) e Professora Elizabeth Schmidt (PSD) na disputa, o município tem um segundo turno histórico: as duas primeiras mulheres a disputarem o cargo de prefeita da cidade avançaram ao segundo turno e fazem uma disputa inédita no Brasil. 

De um lado está a deputada estadual Mabel Canto, eleita para o primeiro mandato na Assembleia Legislativa do Paraná em 2018 e a deputada mais votada da história em Ponta Grossa. Filha do comunicador, ex-prefeito e ex-deputado estadual, Jocelito Canto, Mabel se candidatou ao cargo de prefeita liderando uma coligação de reúne “forças populares” e que conta com o apoio do deputado federal Aliel Machado (PSB). 

Já a Professora Elizabeth Schmidt (PSD) busca coroar uma longa carreira na política princesina. A atual vice-prefeita de Ponta Grossa estreou na vida pública no ano de 2000, quando foi candidata a vice-prefeita. Nos anos seguintes, Elizabeth disputou o cargo de senadora, deputada estadual e ainda ocupou o cargo de secretária municipal em diversas pastas. Em 2016, Elizabeth foi eleita vice-prefeita ao lado de Marcelo Rangel (na época do PPS). 

Por sua vez, Mabel tem como vice na chapa o vereador Pietro Arnaud (PSB), aliado de primeira hora de Aliel Machado. A chapa liderada por Mabel também reúne outras lideranças ligadas ao campo progressista, além de se pautar por um discurso mais popular - parte das propostas de Mabel já haviam sido apresentadas por Aliel na eleição municipal de 2016.

Já Elizabeth escolheu como vice um novato na política: o Capitão Saulo Hladyszwski, também do PSD. Com carreira na Polícia Militar, Saulo dedicou à vida profissional ao combate às drogas, além de ser conhecido por ter comandado a Patrulha Escolar e atuado em projetos de educação e combate às drogas nas escolas públicas de Ponta Grossa e dos Campos Gerais. 

Durante a campanha do primeiro e do segundo turno, Mabel e Elizabeth mantiveram um tom amigável ao se relacionarem. No entanto, com o avanço da disputa para o segundo turno, o tom entre as duas prefeituráveis subiu, com embates diretos em diversos momentos, especialmente nos diversos debates realizados na segunda fase da campanha eleitoral. 

Único segundo turno do Paraná

Ponta Grossa é a única cidade do Paraná com segundo turno neste domingo (29) - todos os outros grandes distritos inm. O ineditismo da disputa chama a atenção e concentra esforços da Justiça Eleitoral na organização e fiscalização do pleito. O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), desembargador Tito Campos de Paula, estará na cidade, juntamente com membros da Corte e com o diretor-geral, doutor Valcir Mombach, para acompanhar o dia de votação.

Horário da eleição

A eleição começa às 7h e vai até às 17h, sendo o horário das 7h às 10h preferencial para quem tem mais de 60 anos. Cerca de 2.400 mesários e mesárias vão atuar em 117 locais de votação, que reúnem 610 seções eleitorais. É preciso respeitar o mesmo protocolo sanitário do primeiro turno, com o uso obrigatório de máscara e distanciamento mínimo de um metro entre as pessoas.

Propaganda

Em Ponta Grossa, é possível denunciar irregularidades ao Ministério Público Eleitoral pelo telefone (42) 3222-3939 ou pelo e-mail [email protected] O aplicativo Pardal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também recebe denúncias de infrações eleitorais.

PUBLICIDADE

Recomendados