Professora Elizabeth destaca ampla experiência na vida pública em PG

Ponta Grossa

27 de novembro de 2020 20:02

Dhiego Tchmolo


Relacionadas

Acusado de matar professora tem prisão substituída

Grupo de jovens realiza feira comunitária no sábado

PM detém suspeito de clonar cartões e contas bancárias

Aliel Machado pede ação do Itamaraty para garantir vacinas
Rapaz fuma maconha dentro do carro e é preso pela GM
Ponte do Matadouro preocupa autoridades de PG
Temporal alaga casas e deixa famílias desalojadas em PG
Professora Elizabeth e Capitão Saulo: proposta é evoluir o trabalho da atual gestão Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Apoiada pelos atuais governos municipal e estadual, prefeiturável quer ouvir a população para entender áreas prioritárias no município

Professora Elizabeth (PSD), no início de 2017, foi a primeira mulher a assumir a Prefeitura de Ponta Grossa, ao substituir a cadeira de Marcelo Rangel na condição de vice-prefeita. Pouco menos de quatro anos depois, a professora concorre para o principal posto do Executivo ponta-grossense, tendo o Capitão Saulo, do mesmo partido, compondo sua chapa nas eleições deste ano.

A prefeiturável chega ao segundo turno após conquistar uma expressiva votação no primeiro: foram 51.565 pessoas que apostaram em sua campanha nas urnas, representando 31,15% dos votos válidos no município. Com a bandeira de dar sequência ao governo dos oito anos de Marcelo Rangel, exaltando as conquistas e avanços no município, Professora Elizabeth cita a necessidade de priorizar os anseios da população.

A candidata conta com apoio, além do atual prefeito de Ponta Grossa, do grupo político à frente do Paraná, como o governador Ratinho Junior, o vice Darci Piana e o secretário de Infraestrutura e Logística, o deputado federal licenciado Sandro Alex. Em entrevista ao Portal aRede e Jornal da Manhã, a Professora Elizabeth elencou sua campanha, gestão, experiência – e convida os eleitores a apostarem no seu projeto no domingo (29).

Portal aRede: Qual é a avaliação que a senhora faz da sua campanha, desde a sua decisão em participar do pleito até nesta reta final?

Professora Elizabeth: A campanha foi leve, alegre, foi feliz. Foi contando com muitas pessoas, com muitos voluntários, muitos amigos, muitos familiares, pessoas que acreditam em nós, que nos conhecem e sabem da minha caminhada e a minha trajetória de vida. Então foi muito leve, muito boa. 

Nós tínhamos uma proposta e uma ideia de atingir o primeiro objetivo que foi ir para o segundo turno, e isso se concretizou. Os apoios que nós temos foram preponderantes, como o prefeito Marcelo Rangel, que é um prefeito bem avaliado com mais de 70% de aprovação, o deputado e secretário Sandro Alex que dá ânimo e apoio, porque ele também é do 55, o nosso vice governador Darci Piana, governador Ratinho Júnior, vieram aqui especialmente para nos demonstrar apoio. 

Nossa campanha sempre foi crescendo, porque as nossas pesquisas internas, nos demonstravam que nós estávamos bem abaixo, porque estávamos começando. Após decidir a candidatura, fomos subindo e chegamos ao segundo turno. Agora estamos nesta reta final, e realmente é um fato histórico para a nossa cidade, porque 100 anos atrás as mulheres estavam lutando para conseguir votar e agora nós estamos lutando para sermos votadas. 

A nossa Câmara também já conseguiu três vereadoras, o que foi algo muito importante e interessante. Mas que precisa ser acirrado cada vez mais esta disputa para que tenhamos uma maior representatividade feminina. Porque, aliás, Ponta Grossa é feminina, existem 53,4% de mulheres na nossa cidade.

Eu me sinto muito honrada por já estar fazendo história e abrindo caminho para outras pessoas. Já fui a primeira candidata a vice-prefeita, a primeira vice-prefeita eleita, a primeira prefeita em exercício por 106 dias enfrentando todos os desafios que o cargo oferece, porque os trabalhos começam cedinho e terminam a noite. A gente tem que ter uma equipe boa, inteligente para a solução desses problemas com muita criatividade, inovação tecnológica e todos os recursos que nos ajudem a resolver esses problemas. 

A senhora está no cargo de vice-prefeita, já foi secretária e tem uma longa carreira na vida pública. Qual a importância dessa experiência para assumir a Prefeitura Municipal a partir de 2021?

Professora Elizabeth: Eu penso a minha história de vida em primeiro lugar, a pessoa que eu sou e que eu me apresento para todos. Uma pessoa que é comprometida e que tem responsabilidade para a cidade, uma pessoa que realmente já tem experiência na gestão pública. Porque já trabalhei em várias pastas como a Secretaria de Cultura, de Turismo, de Administração, de Recursos Humanos e vice-prefeita. Então, tudo isso me credencia a estar alçando o cargo de prefeita. Porque é uma somatória de comprometimento, responsabilidade, experiência e gestão pública. 

A partir de 2021, caso seja eleita, quais são as prioridades em seu governo?

Professora Elizabeth: Acredito que a prioridade mais importante de uma gestora é falar e fazer aquilo que a população precisa. A população é a prioridade. A população quer a saúde funcionando bem, quer a melhor educação, quer o asfalto na rua da sua casa, quer a melhor segurança para seus queridos. Então eu acredito que temos que corresponder a essas expectativas, e por isso eu estou aqui. Me diziam assim: “Não se meta nisso Elizabeth, você não precisa disso”. E, eu respondia: “Eu não preciso mesmo, mas tem pessoas que precisam de mim”. É por isso que eu estou aqui.

Como vai ser seu diálogo com os demais governos, tanto na esfera estadual quanto na federal?

Professora Elizabeth: Eu tenho uma marca de vida e de personalidade que é o diálogo. Eu não tenho ’rixa’ com ninguém. Eu nunca esnobei e fiz alguma coisa contrária contra qualquer pessoa, nem adversários, nem apoiadores, nem eleitores e não eleitores. Eu sempre tive a facilidade e a capacidade de integrar as coisas. E eu conheço o ‘caminho das pedras’, eu sei por onde eu tenho que ir e conseguir apoio de deputados estaduais, deputados federais, para que a gente possa realmente concretizar as propostas que são exequíveis. Mas, precisamos da verba, do dinheiro, do investimento do estado e da União. Esses apoios são preponderantes, e os que não são apoiadores ainda vão ser, porque eu vou conquistá-los. Para mim a conquista é diária.

A disputa é pelo executivo, mas a coligação ‘Somos todos Ponta Grossa’ elegeu oito vereadores, a maior composição das 19 cadeiras. Qual é a importância de a próxima prefeita ter essa aproximação com a Câmara Municipal?

Professora Elizabeth: Entre todos os candidatos, que eram 96 da nossa coligação, nós gostaríamos de ter feito o maior número de cadeiras possível, maior representatividade. Foi o possível e extraordinário muito bom realmente nós contarmos com pessoas que estarão alinhado conosco numa possível governabilidade no nosso município. Porque é muito importante este alinhamento, assim como o Governo do Estado e todas as pessoas que estão engajadas no processo. E essa conquista de nossos vereadores eu desejo muito sucesso sempre.

Como foi escolher a composição da chapa e a nomeação do vice-prefeito Capitão Saulo (PSD)? E como ele vai influenciar na campanha do 2ª turno?

Professora Elizabeth: Acredito que a exemplo do que aconteceu comigo, eu enquanto vice-prefeita, assumi a Prefeitura em 106 dias nas ausências do prefeito na Prefeitura. A cidade nem sentiu que era uma prefeita e não um prefeito estava lá, e isso quer dizer que os desafios foram vencidos, como a greve dos caminhoneiros que foi uma prova de fogo, que vocês diziam para mim, que eu estava passando por uma “prova de fogo”, fazendo propostas colocadas junto a todas as forças de segurança para que pudéssemos corresponder com a população naquele momento tão difícil. 

E naquele momento o prefeito era uma prefeita, e o respeito que eu tive do prefeito Marcelo Rangel e de toda a equipe que está no governo. E com relação ao capital Saulo, eu penso que vai acontecer a mesma coisa. Foi uma conquista mutua, nós dois nos respeitamos muito, ele é um PM que fez um trabalho extraordinário em nossa cidade durante 25 anos, trabalhando no PROERD, na patrulha escolar que também é uma pessoa educadora como eu e também é uma pessoa reconhecida e que nós iremos trabalhar juntos cada vez mais. Nas minhas ausências, ele estará lá, o capitão Saulo como nosso prefeito também.

Domingo o ponta-grossense vai às urnas. Qual seu recado e por que votar no 55?

Professora Elizabeth: Dia 29 de novembro é um momento especial onde podemos fazer a escolha para o futuro da nossa cidade. Então, não se abstenha a votar, use o seu direito e o seu dever de fazer essa votação, porque o poder está em suas mãos de avançar a nossa cidade ou então voltar para trás. Eu acredito que queremos avançar e é o 55 o número acertado neste momento.

PUBLICIDADE

Recomendados