Pandemia impede que 9,5 mil ponta-grossenses votem

Ponta Grossa

28 de novembro de 2020 18:59

Da Redação


Relacionadas

Setor hoteleiro de PG registra mudança no perfil de hóspedes

Condor incia venda de ovos de Pascoa nesta quarta

Beetools traz novidades para 2021 e oferta bolsa de estudos

Sorrifácil Ponta Grossa realiza a 2° Jornada do Implante
Supermercado abre 181 vagas de emprego em PG
Cobra aparece em condomínio e apavora moradores de PG
Em PG, retorno das aulas terá 50% das crianças em sala de aula
Número de pessoas impedidas de votar devido à covid-19 corresponde a 35% das abstenções de 2016 Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE
PUBLICIDADE

Entre pacientes internados, em isolamento domiciliar ou com suspeita de infecção, município tem mais de 9,5 mil abstenções já garantidas

A pandemia da covid-19 foi tema fundamental no debate eleitoral de 2020. Além disso, o vírus também deve trazer consequências à presença do eleitorado nas urnas. De acordo com o último boletim da Fundação Municipal de Saúde (FMS) divulgado neste sábado (28), pouco mais de 9,5 mil ponta-grossenses estão impedidos de votarem por estarem com o vírus ativo, com suspeitas ou mesmo hospitalizados - o número representa 3,9% do eleitorado princesino.

A recomendação da Justiça Eleitoral é que eleitores(as) com síndrome gripal ou com sintomas não se dirijam até os seus respectivos locais de votação. A intenção é ainda que cada eleitor leve a sua própria caneta para assinar os documentos necessário. Houve ainda extensão do horário de votação, com ampliação do horário para evitar aglomeração nos locais de voto.

Em Ponta Grossa, os dados do boletim da covid-19 mostram que há 6,6 mil casos monitorados (neste grupo se enquadram pessoas com síndrome gripal ainda não confirmada como covid). Neste mesmo documento, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) informa que há 3.460 pessoas com o vírus ativo - neste caso, tais cidadãos estão impedidos de saírem de casa e, desta forma, de votarem. Há ainda dez pessoas internadas nas enfermarias da cidade e outras 14 em leitos de UTI, totalizando 9.520 pessoas impedidas de comparecerem às urnas.

No primeiro turno, 55.147 eleitores deixaram de votar, representando uma abstenção recorde superior aos 23%. O número de pessoas que não devem comparecer às urnas neste domingo (29) representa 35% das abstenções do segundo turno em 2016, quando 27.010 eleitores deixaram de ir às urnas.

PUBLICIDADE

Recomendados