PG sedia 12 das maiores empresas do Sul do Brasil

Lista municipal é liderada pela Macrofértil, seguida pelo Madero, pelo grupo Pitangueiras, e pela Lojas MM

A Lojas MM é a primeira empresa da lista fundada em Ponta Grossa e ainda de capital local
A Lojas MM é a primeira empresa da lista fundada em Ponta Grossa e ainda de capital local -

Fernando Rogala

@Siga-me
Google Notícias facebook twitter twitter telegram whatsapp email

Lista municipal é liderada pela Macrofértil, seguida pelo Madero, pelo grupo Pitangueiras, e pela Lojas MM

Doze empresas fundadas ou com sede fabril ou administrativa em Ponta Grossa estão na lista das 500 maiores empresas do Sul do Brasil. O ranking, realizado pelo Grupo Amanhã, em parceria com a PwC Brasil, foi divulgado nesta terça-feira (8). Se a maior empresa do Sul é a multinacional Bunge, e a maior do Paraná é a Copel, de Ponta Grossa aparece como maior empresa a Macrofértil Fertilizantes, hoje pertencente à multinacional Louis Dreyfus. Porém, entre as empresas genuinamente ponta-grossenses, fundadas e ainda sediadas no município, a que aparece na primeira colocação é a Lojas MM. O estudo foi feito com base no levantamento financeiro de 2019.

O ranking mostra que das 500 empresas, há 183 companhias paranaenses na lista, as quais produziram cifras mais elevadas que as empresas gaúchas e catarinenses em vendas, em lucros e em patrimônios (que são os três componentes do Valor Ponderado de Grandeza, o ‘VPG’, principal indicador da tradicional lista), atingindo R$ 221,2 bilhões. A líder do Estado foi a Copel, com um VPG de 15,5 bilhões. “Essa conquista ratifica o trabalho que estamos desenvolvendo, para que a Copel seja uma empresa cada vez mais eficiente, prestando serviço de qualidade e gerando valor ao Estado do Paraná”, ressalta o presidente da Copel, Daniel Slaviero. 

Já de Ponta Grossa, a Macrofértil apareceu na primeira posição, a 46ª do Paraná e a 110ª do Sul do Brasil, com um VPG de R$ 705,54 milhões. Ela é seguida pelo grupo Madero, empresa de indústria e comércio de alimentos, sediada em Curitiba e cuja fábrica está em Ponta Grossa, que ocupa a posição 134 no Sul, com um VPG de R$ 597,3 milhões; enquanto que na terceira posição municipal está a distribuidora de produtos agropecuários Pitangueiras, sediada em Curitiba, e que em 1996 inaugurou a primeira loja de varejo em Ponta Grossa.

A Lojas MM é a primeira empresa da lista fundada em Ponta Grossa e ainda de capital ponta-grossense. O grupo registrou um VPG de R$ 299,8 milhões, colocando a empresa na 90ª posição no Estado do Paraná e a 235ª do Sul do país. “Estar entre as 500 maiores nos enche de orgulho, pois isso mostra que estamos no caminho certo. Tudo isso é fruto de um conjunto de ações: planejamento estratégico estruturado, uma equipe de colaboradores engajada e que conhece nosso negócio de A a Z, um atendimento profissional a todos os consumidores nas regiões que atuamos, isso sempre com muito respeito e principalmente a seriedade com que desempenhamos nosso negócio”, destaca Juliana Michalowski Pauliki, vice-presidente RH/financeiro da MM.

Logo atrás, aparece a Rodonorte, concessionária ligada ao grupo CCR, com um VPG de R$ 289 milhões, a 91ª do Paraná e 237ª do Sul. Outra empresa genuinamente ponta-grossense, fundada e ainda sediada na cidade é a Águia Participações. Com um VPG de R$ 205 milhões, a empresa ocupa a sexta posição municipal e a 294ª do Sul. Na sequência aparecem a Unimed Ponta Grossa (VPG de R$ 135,8 milhões) e Expresso Princesa dos Campos (VPG de R$ 125,4 milhões). Na décima posição, está a Tratornew (R$ 96,1 milhões), seguida pela Merisa Engenharia (R$ 90 milhões) e a Associação Missionária de Beneficência (R$ 79,2 milhões).

Cooperativas lideram ranking das maiores da região

O ranking da região dos Campos Gerais tem como maior empresa a Klabin, que embora sediada em São Paulo, tem sua unidade fabril em Telêmaco Borba, que se destaca como a 3ª maior do Paraná e 9ª maior do Sul, com um VPG R$ 7,43 bilhões. Na sequência, as maiores genuinamente da região atuam no ramo cooperativista do agronegócio: a Castrolanda, a Frísia e a Capal. 

Sediada em Castro, a Cooperativa Castrolanda é a 15ª maior empresa do Paraná, e a 43ª maior do Sul do Brasil. Ela atingiu um VPG de 1,96 bilhão, o que a coloca como a sexta maior cooperativa do ranking. Logo depois se destaca a Frísia, fundada há quase 100 anos em Carambeí, com um VPG de R$ 1,65 bilhão, o 19º maior valor do Paraná e o 52º do Sul. Na sequência, aparece a Capal Cooperativa Agroindustrial, a 40ª maior empresa do Paraná e a 100ª maior do Sul, com um VPG de R$ 810,9 milhões.

Ranking tem metodologia própria

Para revelar quem é quem entre as empresas do Sul, o ranking do Grupo Amanhã e a PwC Brasil construíram um indicador exclusivo: o Valor Ponderado de Grandeza (VPG). O índice reflete, de forma equilibrada, o tamanho e o desempenho das empresas, a partir de uma ponderação que considera os três grandes números do balanço: patrimônio líquido (que tem peso de 50% no cálculo do VPG), receita líquida (40%) e lucro líquido ou prejuízo (10%).