PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Câmara de PG terá APP e sessões itinerantes em 2021

Ponta Grossa

10 de dezembro de 2020 19:20

Afonso Verner


Relacionadas

FASPG realiza acolhimento para indígenas vulneráveis

Malha ferroviária do PR fomenta aportes da Bunge e Cargill

Baterias Central é referência no segmento de baterias em PG

Super saldão Janeiro na Probel Avenida Vicente Machado
Vídeo mostra alagamento na entrada da cidade de PG
Agendamento da vacinação para crianças terá mudanças
PG tem aumento de 60% nos testes do coronavírus
Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Aplicativo será lançado em janeiro e há intenção de realizar sessões nos bairros a partir do próximo ano

O vereador Daniel Milla (PSD) disputará mais um mandato no comando do Legislativo Municipal em 2021. Nesta quinta-feira (10), Milla visitou a redação do Jornal da Manhã e do Portal aRede para participar de uma sabatina transmitida ao vivo nas redes sociais. Durante a entrevista, Milla destacou as ações adotadas no comando da Câmara e também medidas que buscam tornar o Legislativo mais acessível à população. 

Ao fazer um balanço sobre o mandato como presidente do Legislativo entre 2018-2020, Daniel ressaltou a intenção de tornar as atividades da Câmara mais transparentes perante à população. “Nós criamos um aplicativo da Câmara para que todo cidadão possa solicitar qualquer pedido ao vereador, como um projeto de lei, uma melhoria em rua ou outros benefícios à comunidade”, disse Milla. 

Segundo o presidente do Legislativo, o aplicativo está em fase final de execução e será lançado em janeiro. “Os pedidos feitos pelo APP serão destinados aos vereadores que por sua vez terão até 15 dias para responder o cidadão. Com essa ferramenta, nossa ideia é tornar o Legislativo mais acessível e mais próximo do cidadão, essa é uma meta constante da minha gestão”, destacou Milla. 

Para o próximo ano, Milla também apresenta como meta a ideia de criar uma rotina de sessões itinerantes pelos bairros de Ponta Grossa. “Esse é um desafio que o próximo presidente da Câmara terá, ele precisará criar uma estrutura para permitir que o Legislativo chegue aos bairros, possa realizar sessões e também se tornar mais próximo da comunidade”, disse Daniel. 

Na sabatina, Milla também destacou as decisões tomadas que trouxeram economias aos cofres públicos da Câmara. Uma das principais ações diz respeito à digitalização da Câmara que fez com que o Legislativo deixasse de gastar mais de 30 mil fotocópias por mês. “O processo de digitalização foi fundamental para trazer uma economia e uma modernidade necessária à prática política”, disse Milla. 

O processo de digitalização fez com que o uso de papel diminuísse drasticamente, com a aposta no uso de computadores para também digitalizar as votações. “Isso tornou o processo de votação mais moderno, mas mais do que isso também mais transparente à população”, disse Daniel. As economias no Legislativo permitiram que a Câmara devolva à Prefeitura R$ 4,9 milhões ainda neste mês. 

Presidente ressalta necessidade de “estruturação”

De olho na disputa pelo comando da Mesa Executiva que acontece no dia 1º de janeiro, Daniel Milla (PV) ressaltou que a composição da chapa formada por ele e outros 13 vereadores é baseada na gestão interna da Câmara e não em posicionamento enquanto “situação” ou “oposição”. “Criamos esse grupo com o intuito de continuar com a economia interna, mas também de garantir condições para que os vereadores trabalhem e possam fiscalizar e legislar”, destacou o parlamentar. 

Oposição

A oposição ao projeto de Daniel Milla (PSD) deverá ser representada por Geraldo Stocco (PSB). Stocco deverá liderar uma chapa de oposição ao lado dos colegas do PSB, Ede Pimentel e Izaias Salustiano, além de outros parlamentares que não componhem o grupo liderado por Milla.

PUBLICIDADE

Recomendados