PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Nissin Foods terá maior fábrica do país em PG

Ponta Grossa

22 de dezembro de 2020 13:01

Andre Bida


Relacionadas

Procon orienta sobre bloqueio de ligações de telemarketing

Empresários do comércio querem venda por delivery

Cesta básica passa a custar R$663,67 em Ponta Grossa

Protesto pede abertura do comércio em PG
Caminhão com carga de iogurte tomba na região do Sabará
Elizabeth se manifesta sobre mobilização de empresários
Sanepar realiza obras de interligação no domingo
Fase I deve gerar 350 empregos diretos e outros 100 empregos indiretos. Investimentos na unidade devem atingir R$ 1 bilhão Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Fase I deve gerar 350 empregos diretos e outros 100 empregos indiretos. Investimentos na unidade devem atingir R$ 1 bilhão

Ponta Grossa poderá sediar a maior fábrica de alimentos da Nissin Foods do Brasil. A confirmação foi feita em solenidade de apresentação por parte da empresa, na manhã desta terça-feira (22), no Gabinete do Prefeito Marcelo Rangel (PSDB). O evento contou com a participação de diretores da empresa, do prefeito de Ponta Grossa, da vice-prefeita e futura prefeita eleita Elizabeth Schmidt (PSD), do secretário de infraestrutura e logística do Paraná, Sandro Alex e secretários municipais. Ponta Grossa disputa a instalação da fábrica com o município de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

Segundo Yoshihiko Higashide, diretor industrial da Nissin Foods do Brasil, a escolha por Ponta Grossa como uma das possíveis cidades para receber o investimento aconteceu após estudos que tiveram início há quatro anos. "Sobre o projeto da fábrica, iniciamos um estudo em 2016. Até que, no final do ano passado, nos encontramos com Ratinho Júnior para apresentar o projeto e nesta época estávamos procurando terrenos. Neste momento chegamos em um conceito geral que Ponta Grossa é primeiro candidato", diz Yoshihiko.

A previsão da Nissin Foods é de que entre 2021 e 2022 aconteça o licenciamento e início das obras. Em 2023 será vez da produção de macarrão instantâneo. Nesta Fase I, a fábrica de alimentos fará um investimento R$ 350 milhões, gerando 350 empregos diretos, podendo chegar em até 550 empregos, além de outros 100 empregos indiretos. A Nissin espera ter R$ 300 milhões de faturamento bruto ao ano atendendo toda a demanda da parte sul do país e exportação.

A intenção da fábrica é que com a evolução da unidade os investimentos cheguem em quase R$ 1 bilhão, superando a unidade de Ibiúna (SP), que atualmente é a maior fábrica da empresa no Brasil. De acordo com diretores da empresa, as negociações com o Governo do Estado e Prefeitura avançaram e Ponta Grossa deverá ser a escolhida para o investimento. Esta unidade no Paraná será a terceira fábrica da empresa no Brasil e o terreno que poderá sediar a fábrica da Nissin em Ponta Grossa tem 50 mil metros quadrados, e está localizado nas proximidades da DAF, na PR-151. A área seria adquirida pela multinacional japonesa.

Cidade paranaense está na disputa

De acordo com o secretário municipal de Indústria, Comércio e Qualificação Profissional, José Loureiro, apesar da reunião com a apresentação do projeto, nenhum acordo ou protocolo de intenções foi firmado com a empresa ainda. “A empresa tem a intenção de vir para Ponta Grossa, mas eles não confirmaram nada ainda. Nós estamos brigando com São José dos Pinhais. A proposta oficial, com o que eles vão pedir para Ponta Grossa, vai ser só em janeiro”, reforçou Loureiro.

PUBLICIDADE

Recomendados