PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Justiça liberta Ricardo Zampieri e Roberto Pelissari

Ponta Grossa

23 de dezembro de 2020 18:34

Afonso Verner


Relacionadas

UEPG adia retorno das aulas teóricas presenciais

Prefeitura coleta 4 toneladas de resíduos na Chapada

Estudantes de medicina UEPG realizam curso de rotinas no HU

HU abre matrículas para curso de Instrumentação Cirúrgica
Ambulância de PG se envolve em grave acidente
Mega Limpa estoque LCA Móveis e Decoração
Seu tratamento ortodôntico pode ser 40% mais rápido
Ricardo e Roberto foram libertados após decisão judicial Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Vereador e presidente da AMTT foram libertados após decisão do Poder Judiciário. Prisão provisória vencia amanhã (24)

O Poder Judiciário decidiu libertar o vereador Ricardo Zampieri (Republicanos) e o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT), Roberto Pelissari. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (23), um dia antes da prisão provisória da dupla vencer. Ambos foram presos pelo Gaeco no último dia 15 suspeitos de corrupção ativa, passiva e organização criminosa. 

Para os advogados de Ricardo Zampieri, Jorge Sebastião Neto e João Manoel Grott, no caso do vereador, a fase de inquérito já demonstrou ausência de culpa. "O fim do inquérito pelo menos ao Ricardo foi bastante claro que não existe indícios de culpa dele", afirmou o advogado de defesa de Ricardo. 

Entre os presos na operação Saturno do Gaeco, Ricardo e Pelissari foram libertados, já o empresário João Barbiero cumpre a prisão em casa, usando tornozeleira eletrônica. 

João Manoel e Jorge Sebastião Neto reforçam não existir indício de provas contra o Ricardo e que não justificava a prisão dele. “Eis que foram cumpridas todas as diligências. E a prisão do Ricardo se devia muito mais por um aspecto de ele estar numa posição privilegiada, devido a ser radialista, presidente da comissão da CPI que investigava o Estar e também por ser vereador. Foi uma prisão no sentindo de não atrapalhar mais as investigações do que provas de corrupção contra ele”, sinalizam.

“Na data de hoje (quarta-feira), nosso cliente Ricardo Zampieri foi posto em liberdade em razão da promotoria do Gaeco entender que não há provas em face do mesmo. O mesmo ficou preso temporariamente por ter grande influência política no Município, razão pela qual a promotoria entendeu pela prisão temporária do mesmo para que eventualmente não atrapalhasse as investigações”, salienta Jorge Sebastião Neto. “No entanto nenhuma prova consistente existe contra o Ricardo e com isso foi determinado sua soltura”, reforça.

Jorge Sebastião Neto reforça que os próximos passos serão aguardar o relatório da autoridade policial e eventual denúncia para posterior punição dos envolvidos. “De todo modo, reiteramos que em face do vereador Ricardo havia somente especulações, sem nenhuma prova contundente e sua prisão se deu pela força política que exerce no Município”, assinala.

Continuam presos no Complexo Médico Penal, em Curitiba, os sócios da empresa Cidatec, Antonio Carlos Domingues de Sá e Alberto Abujamra Neto; o vereador Walter de Souza 'Valtão' (PRTB) e Celso Ricardo Madrid Finck.


PUBLICIDADE

Recomendados