PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

PSDB vai investigar Felipe Passos sobre infidelidade partidária

Ponta Grossa

08 de janeiro de 2021 18:59

Afonso Verner


Relacionadas

‘Xepa da vacina’ é aprovada pela Câmara de Ponta Grossa

Homem é preso pelo crime de estupro de vulnerável

Programa do Governo do PR já destinou R$ 4 mi ao turismo

LCA oferta o melhor em móveis para PG e região
Grupo de Estudos Pré-Vestibular abre inscrições
Comunidade pede segurança em CMEI do Castanheira
Presidente Recapagem traz novo conceito em conveniência
Rangel é o presidente municipal do PSDB em Ponta Grossa Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Marcelo Rangel, presidente da legenda, afirma que partido apura infidelidade do vereador durante o processo eleitoral de 2020

O ex-prefeito de Ponta Grossa e presidente do PSDB no município, Marcelo Rangel, afirmou que a legenda também deve investigar o vereador Felipe Passos por infidelidade partidária. Através de Rangel, a legenda denunciou Felipe por suspostos crimes de assédio sexual e ‘rachadinha’. A denúncia foi apresentada à Câmara e deverá ser analisada pela Corregedoria apenas em fevereiro.

O agora ex-prefeito afirmou que o partido abriu procedimento interno para apurar todas essas denúncias. "Recebemos documentos sobre infidelidade partidária do vereador e o PSDB está analisando todos os documentos probatórios”, disse Rangel. O presidente do Diretório afirmou que Felipe teria recebido vantagens eleitorais de outra chapa na disputa de 2020 e “teria realizado campanha explícita para outro partido, o que é proibido”, diz. 

“A denúncia recebida tem diálogos com pedidos de apoio estrutural e provas de que o vereador utilizou, inclusive, o escritório doado por outro candidato”, disparou Rangel. “O partido irá aprofundar o trabalho de apuração desta denúncia, em respeito aos demais candidatos que tiveram postura de apoio a prefeita Elizabeth, demonstrando unidade”, argumentou o prefeito. 

Saiba mais: 

Câmara só vai analisar denúncia contra Passos em fevereiro

Vereador de Ponta Grossa nega assédio e 'rachadinha'

PUBLICIDADE

Recomendados