PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Criança de PG precisa de remédio de R$ 12 milhões

Ponta Grossa

14 de janeiro de 2021 13:37

Da Redação


Relacionadas

PG tem mais sete mortes e 215 novos casos da Covid

Prefeitura realiza manutenção na UPA Santa Paula

Ônibus de PG operarão com 'horário de domingo'

Prefeitura de PG tira dúvidas sobre serviços de delivery
Autoridades fiscalizam mais de 130 estabelecimentos em PG
PG suspende aulas presenciais na rede municipal
Em vídeo, Elizabeth pede apoio popular no combate à Covid
A dose é única e o remédio vem dos Estados Unidos. Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Letícia tem uma doença rara e está hospitalizada usando respirador e uma sonda para alimentação

A pequena ponta-grossense Leticia Raphaela Kremer Silverio sofre de Atrofia Muscular Espinhal (AME Tipo 1) e precisa tomar o medicamento Zolgensma para curar o gene defeituoso, mas precisa iniciar o tratamento antes de completar os 2 anos de idade. A dose é única e o remédio vem dos Estados Unidos. Nesta quinta-feira (14), a pequena Letícia completa seu primeiro ano de vida.

A AME Tipo 1 é uma doença neuromuscular rara, genética e com manifestações clinicas variáveis. Em maio de 2019, o FDA, órgão americano equivalente à Anvisa no Brasil, aprovou a comercialização do medicamento, que se tornou o mais caro do mundo: uma única dose custa aproximadamente U$ 2,125 milhões, equivalente a R$ 12 milhões.

Caso Letícia não consiga receber o remédio, ela corre o risco de sofrer degeneração dos neurônios e paralisia progressiva, levando a morte. Atualmente a criança não sente dor, porém precisa de aparelhos para sobreviver artificialmente como o respirador. Ela também não consegue se alimentar naturalmente, sendo alimentada por sonda. Hoje em dia, ela só consegue movimentar os olhos e as mãos.

Em decorrência da situação de sua filha, a mãe de Letícia, Belit Milaine Kremer criou uma vaquinha online contando com o bom coração das pessoas para poder atingir a meta e comprar o remédio. A arrecadação já está em R$ 23,7 mil e o objetivo é chegar nos R$ 12 milhões até Letícia atingir dois anos de idade.

Um dos apoiadores da campanha para ajudar Letícia, Fabio Luis Percemilho, comenta que “o complicado é saber que existe a cura e saber o valor dela, porém não ter o saldo para pagar a cura é desesperador, os números são enormes, mas para salvar a Leticia iremos fazer o impossível”.

Para doar qualquer valor e ajudar Letícia a se curar da doença rara, basta acessar o link da vaquinha clicando aqui. 

Também foi criado um perfil no Instagram para divulgar a campanha. Lá os internautas podem acompanhar o dia a dia de Letícia, rifas e incentivos para a doação.

PUBLICIDADE

Recomendados