PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

'Se não tivéssemos o Butantan, país estaria perdido', diz Rangel

Ponta Grossa

18 de janeiro de 2021 17:20

Afonso Verner


Relacionadas

Ponta Grossa registra mais de 290 novos casos de Covid-19

Guarda Municipal apreende 77 gramas de crack em Uvaranas

Igreja de PG questiona limite de capacidade para celebrações

Ratinho detalha medidas para ajudar a população
Acidente no centro deixa motociclista em estado grave
Idosos fazem fila no primeiro dia de mutirão em PG
PG tem mutirão de vacinação de idosos no fim de semana
Rangel esteve em São Paulo para conhecer produção da vacina Foto: Imagem: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Em publicação feita no Twitter, ex-prefeito destacou importância da vacina do instituto para enfrentamento da pandemia

Responsável por firmar o convênio entre a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) com o Instituto Butantan, Marcelo Rangel (PSDB) usou o perfil que mantém no Twitter para comentar a importância da vacina Coronavac, desenvolvida no instituto. O órgão é comandado pelo também tucano, João Dória, e havia firmado um contrato com a Prefeitura quando Rangel ainda ocupava o cargo de prefeito. 

No Twitter, Rangel fez um breve comentário sobre o tema. “Se não tivéssemos o Instituto Butantan  e o Governo de São Paulo para apoiar esta produção [de vacinas] .. O Brasil estaria perdido”, disse o agora ex-prefeito. Rangel esteve em São Paulo, durante dois dias para negociar um convênio que acabou sendo suspenso depois que o Ministério da Saúde decidiu comprar todas as doses. 

Desde o começo da pandemia, o prefeito vinha defendendo a vacina como a principal saída para a questão sanitária. Ao lado do companheiro de partido, Dória, e de outros prefeitos paranaenses, Rangel ganhou destaque ao ser um dos primeiros a discutir a vinda da vacina para o interior do Paraná. A filha do prefeito também causou polêmica nacional ao expor um frasco da vacina em um vídeo publicado nas redes sociais. 

PUBLICIDADE

Recomendados