PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’

Ponta Grossa

18 de janeiro de 2021 18:30

Afonso Verner


Relacionadas

Ponta Grossa registra mais de 290 novos casos de Covid-19

Guarda Municipal apreende 77 gramas de crack em Uvaranas

Igreja de PG questiona limite de capacidade para celebrações

Ratinho detalha medidas para ajudar a população
Acidente no centro deixa motociclista em estado grave
Idosos fazem fila no primeiro dia de mutirão em PG
PG tem mutirão de vacinação de idosos no fim de semana
Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Vereador acredita que Legislativo deve cortar “benefícios” e focará novo mandato na fiscalização e na causa da ciclomobilidade

Dono da segunda maior votação na disputa pela Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), o jovem Geraldo Stocco (PSB) foi reeleito para o segundo mandato em 2020 com 4.251 votos. Nesta segunda-feira (18), Stocco visitou a redação do Jornal da Manhã e do portal aRede para participar de uma sabatina transmitida nas redes sociais (clique aqui para assistir) em que expôs planos e metas para o novo mandato. 

Durante a sabatina, Stocco destacou que seguirá empenhado na fiscalização do Poder Executivo e também propondo mudanças internas no Legislativo - o vereador concorreu ao cargo de presidente da Câmara em 2021 e ficou em segundo lugar. Uma das mudanças propostas por Stocco diz respeito ao fim do pagamento de “Diárias” aos parlamentares - os vereadores podem solicitar diárias para compromissos parlamentares foras da cidade.

Em compromissos dentro do Paraná, cada diária é de R$ 250 e fora do Estado a diária é de R$ 350. “O Legislativo ainda tem alguns benefícios concedidos aos vereadores que precisam ser revistos. Um deles é a concessão de diárias”, disse Stocco. O parlamentar já é autor de uma proposta de resolução interna que previa que os vereadores devessem prestar contas das diárias e devolver o que não haviam gasto - o texto foi rejeitado pelo plenário. 

Segundo Stocco, o Legislativo deve seguir avançando em processos de digitalização, já iniciados pela gestão de Daniel Milla (PSD), que prevê o uso de arquivos digitais para as sessões. “Agora precisamos iniciar essa digitalização para o processo de indicações feitas pelos vereadores. Cada indicação acaba se tornando quatro vias de sulfite e todo esse processo ainda é muito demorado”, diz Geraldo. 

Para o vereador, o Legislativo também precisa digitalizar o processo de indicações (pedidos feitos oficialmente pelos vereadores) junto à Prefeitura para garantir mais economia. Além disso, no segundo mandato na Câmara, Stocco quer ainda seguir representando temas ligadas à ciclomobilidade e ao uso de bicicletas como forma de locomoção em Ponta Grossa. 

“No quesito de ciclomobilidade, a cidade acabou avançando um pouco, mas ainda há muito a ser feito”, disse Stocco. O vereador quer colocar em vigor projetos de lei já aprovados, mas que ainda não estão sendo cumpridos pelo Poder Executivo, segundo o parlamentar. “Temos alguns projetos ligados à segurança dos ciclistas que ainda aguardam para entrarem em vigor”, disse o parlamentar. 

Parlamentar que ter boa relação com Elizabeth

Durante o primeiro mandato na Câmara Municipal, Stocco teve uma relação “tumultuada” com o então prefeito, Marcelo Rangel (PSDB) - o gestor chegou a bloqueá-lo nas redes sociais. Com a nova prefeita, Professora Elizabeth Schmidt (PSDB), Geraldo quer manter uma relação mais tranquila e produtiva. “Falei com a prefeita [Elizabeth] após as eleições e quero manter com ela uma relação muito produtiva e melhor do que a que mantive com o ex-prefeito”, disse Stocco.

“Escutar mais, falar menos”

Sobre a campanha eleitoral de 2020, Stocco destacou o processo “dificultado pela pandemia” e também o amadurecimento da reeleição com o eleitor. “Nessa nova campanha e nesse novo mandato quero escutar mais e falar menos, escutar mais a nossa população e buscar soluções para os problemas que elas enfrentam no dia a dia”, disse. 

PUBLICIDADE

Recomendados