PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Stocco quer acabar com concessão de ‘diárias’

Ponta Grossa

18 de janeiro de 2021 18:30

Afonso Verner


Relacionadas

Motorista fica ferido após tombar carro em Uvaranas

Acidente entre caminhão e moto deixa dois feridos em PG

Jovem é esfaqueado pela esposa na vila Quero-Quero

Capotamento na Avenida Souza Naves deixa idosa ferida
Novo presidente da OAB quer entidade inserida na sociedade
Projeto Quali&Tec, da Prefeitura, recebe Selo ODS 2021
Saúde de PG aplica 2° dose nesta segunda e terça
Foto: Arquivo aRede
PUBLICIDADE

Vereador acredita que Legislativo deve cortar “benefícios” e focará novo mandato na fiscalização e na causa da ciclomobilidade

Dono da segunda maior votação na disputa pela Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), o jovem Geraldo Stocco (PSB) foi reeleito para o segundo mandato em 2020 com 4.251 votos. Nesta segunda-feira (18), Stocco visitou a redação do Jornal da Manhã e do portal aRede para participar de uma sabatina transmitida nas redes sociais (clique aqui para assistir) em que expôs planos e metas para o novo mandato. 

Durante a sabatina, Stocco destacou que seguirá empenhado na fiscalização do Poder Executivo e também propondo mudanças internas no Legislativo - o vereador concorreu ao cargo de presidente da Câmara em 2021 e ficou em segundo lugar. Uma das mudanças propostas por Stocco diz respeito ao fim do pagamento de “Diárias” aos parlamentares - os vereadores podem solicitar diárias para compromissos parlamentares foras da cidade.

Em compromissos dentro do Paraná, cada diária é de R$ 250 e fora do Estado a diária é de R$ 350. “O Legislativo ainda tem alguns benefícios concedidos aos vereadores que precisam ser revistos. Um deles é a concessão de diárias”, disse Stocco. O parlamentar já é autor de uma proposta de resolução interna que previa que os vereadores devessem prestar contas das diárias e devolver o que não haviam gasto - o texto foi rejeitado pelo plenário. 

Segundo Stocco, o Legislativo deve seguir avançando em processos de digitalização, já iniciados pela gestão de Daniel Milla (PSD), que prevê o uso de arquivos digitais para as sessões. “Agora precisamos iniciar essa digitalização para o processo de indicações feitas pelos vereadores. Cada indicação acaba se tornando quatro vias de sulfite e todo esse processo ainda é muito demorado”, diz Geraldo. 

Para o vereador, o Legislativo também precisa digitalizar o processo de indicações (pedidos feitos oficialmente pelos vereadores) junto à Prefeitura para garantir mais economia. Além disso, no segundo mandato na Câmara, Stocco quer ainda seguir representando temas ligadas à ciclomobilidade e ao uso de bicicletas como forma de locomoção em Ponta Grossa. 

“No quesito de ciclomobilidade, a cidade acabou avançando um pouco, mas ainda há muito a ser feito”, disse Stocco. O vereador quer colocar em vigor projetos de lei já aprovados, mas que ainda não estão sendo cumpridos pelo Poder Executivo, segundo o parlamentar. “Temos alguns projetos ligados à segurança dos ciclistas que ainda aguardam para entrarem em vigor”, disse o parlamentar. 

Parlamentar que ter boa relação com Elizabeth

Durante o primeiro mandato na Câmara Municipal, Stocco teve uma relação “tumultuada” com o então prefeito, Marcelo Rangel (PSDB) - o gestor chegou a bloqueá-lo nas redes sociais. Com a nova prefeita, Professora Elizabeth Schmidt (PSDB), Geraldo quer manter uma relação mais tranquila e produtiva. “Falei com a prefeita [Elizabeth] após as eleições e quero manter com ela uma relação muito produtiva e melhor do que a que mantive com o ex-prefeito”, disse Stocco.

“Escutar mais, falar menos”

Sobre a campanha eleitoral de 2020, Stocco destacou o processo “dificultado pela pandemia” e também o amadurecimento da reeleição com o eleitor. “Nessa nova campanha e nesse novo mandato quero escutar mais e falar menos, escutar mais a nossa população e buscar soluções para os problemas que elas enfrentam no dia a dia”, disse. 

PUBLICIDADE

Recomendados