PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Justiça autoriza e Valtão toma posse na Câmara de PG

Ponta Grossa

20 de janeiro de 2021 10:20

Da Redação


Relacionadas

MP investigará vacinas irregulares em PG e Ipiranga

De pichação de muro à campanha de marketing

Funcionários da VCG anunciam nova greve no transporte

Santa Casa realiza 1ª Passeio Ciclístico do Bem em PG
Adesão à iniciativa 'Nota PG' encerra nesta terça-feira
Carreta da Alegria retorna para alegrar os ponta-grossenses
Prefeitura inicia obras em 16 trechos de vias em Uvaranas
Vereador foi denunciado por receber propina para elaborar relatório da CPI do Estar Digital Foto: Arquivo/CMPG
PUBLICIDADE

Em prisão domiciliar desde o início de janeiro, Walter José de Souza está preso por corrupção envolvendo a CPI do Estar Digital

Preso desde o dia 15 de dezembro como parte da Operação Saturno, Walter José de Souza, o Valtão (PRTB), foi autorizado pelo Poder Judiciário a ser empossado como vereador na Câmara de Ponta Grossa. Desde o dia 5 de janeiro, ele cumpre prisão domiciliar e teve autorização apenas para se dirigir à Câmara de Vereadores na manhã desta quarta-feira (20), entre 10h e 11h, para a solenidade reservada em que assumirá o cargo oficialmente.

O Portal aRede teve acesso a parte da decisão judicial em que a juíza substituta Érica Watanabe, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) autoriza “flexibilizar as condições impostas quando da concessão de prisão domiciliar ao denunciado Walter José de Souza, no tocante ao deslocamento de seu domicílio e contato com terceiros, exclusivamente para o fim de formalização do ato de posse a ser realizado nas dependências da Câmara Municipal de Ponta Grossa”.

A autorização é necessária porque a prisão domiciliar impede que Valtão deixe sua casa sem comunicar à Justiça, e também o proíbe de manter contato com pessoas de fora de seu círculo familiar.

O presidente da Casa de Leis, vereador Daniel Milla (PSD), disse que só deve se manifestar após a cerimônia de posse de Valtão. O advogado de Valtão também foi procurado, mas não atendeu às ligações e não retornou as mensagens. Presidente do PRTB e suplente do parlamentar preso na Câmara, o ex-vereador Sargento Guiarone também não atendeu às ligações da reportagem do Portal.

Relembre o caso

A Operação Saturno foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) no dia 15 de dezembro. Ao todo, 22 mandados de busca e apreensão foram cumpridos pelas autoridades na Câmara Municipal, na Prefeitura, na sede da AMTT e também nas residências dos investigados. Paralelamente, a Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG) já discute a cassação de Valtão.

Saiba mais:

Ministério Pùblico denuncia vereador e empresários

Justiça concede prisão domiciliar a Valtão

Empresários da Cidatec cumprirão prisão domiciliar

Valtão tem até 13 de março para tomar posse

Valtão é alvo de pedido de cassação na Câmara de PG

Em depoimento, vereador Valtão já admitiu ter recebido propina

PUBLICIDADE

Recomendados