PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Acusado de matar professora tem prisão substituída

Ponta Grossa

21 de janeiro de 2021 10:44

Da Redação


Relacionadas

PG tem mais sete mortes e 215 novos casos da Covid

Prefeitura realiza manutenção na UPA Santa Paula

Ônibus de PG operarão com 'horário de domingo'

Prefeitura de PG tira dúvidas sobre serviços de delivery
Autoridades fiscalizam mais de 130 estabelecimentos em PG
PG suspende aulas presenciais na rede municipal
Em vídeo, Elizabeth pede apoio popular no combate à Covid
Marcelo de Ávila é acusado da morte da esposa, a professora Luciane Ávila, Foto: Arquivo JM
PUBLICIDADE

Justiça defere medida cautelar de internação provisória e ele permanecerá no Complexo Médico Penal

 

Marcelo de Ávila, acusado da morte da esposa, a professora Luciane Ávila, teve sua prisão preventiva substituída por medida cautelar de internação provisória e deve permanecer no Complexo Médico Penal para tratamento, enquanto aguarda  julgamento pelo Tribunal do Júri.

O advogado Gustavo Madureira, encarregado da defesa de Marcelo pediu para que ele fosse submetido a exame de sanidade mental, o qual constatou que Marcelo sofre de Episódio Depressivo Grave e que, ao tempo da ação, apesar de inteiramente capaz de entender o caráter criminoso do fato, ele estava parcialmente incapaz de determinar-se de acordo com esse entendimento por motivo da doença que possui.

Madureira esclareceu que por ser o réu doente mental deve permanecer internado para tratamento no complexo penal enquanto aguarda o tramite do processo e com o resultado do laudo parcialmente favorável caso condenado deve ter a pena reduzida de um a dois terços.

Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público, no dia 04 de dezembro de 2019, por volta das 13horas, na Avenida Anita Garibaldi, nesta Cidade, Ávila matou a vítima Luciane, sua esposa, quando a mesma estava se dirigindo ao trabalho, deferindo-lhe diversos golpes de arma branca. Na mesma data, o acusado ainda desferiu golpes de faca contra um terceiro que tentou impedir o crime.

 

PUBLICIDADE

Recomendados