PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Grupo prepara manifestação pela cassação de vereador

Ponta Grossa

22 de janeiro de 2021 15:39

Afonso Verner


Relacionadas

PG tem mais sete mortes e 215 novos casos da Covid

Prefeitura realiza manutenção na UPA Santa Paula

Ônibus de PG operarão com 'horário de domingo'

Prefeitura de PG tira dúvidas sobre serviços de delivery
Autoridades fiscalizam mais de 130 estabelecimentos em PG
PG suspende aulas presenciais na rede municipal
Em vídeo, Elizabeth pede apoio popular no combate à Covid
Valtão usa tornozeleira eletrônica e cumpre prisão domiciliar. Mesmo assim, ele foi empossado Foto: Kauter Prado / CMPG
PUBLICIDADE

Organizados pelas redes sociais, cidadãos preparam ato pró-cassação do veradoador do PRTB acusado de corrupção

O ano deve começar com manifestação na Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG). Organizados através das redes sociais, um grupo de cidadãos programa um protesto pela cassação do vereador Walter José de Souza, o Valtão (PRTB). Cumprindo prisão domiciliar e usando tornozeleira, Valtão foi autorizado a tomar posse nesta semana - ele é réu por corrupção e já admitiu ter recebido R$ 15 mil em propina no escândalo envolvendo a CPI do EstaR Digital. 

O protesto tem sido organizado pelo Facebook e por um grupo no WhatsApp, intitulado “O poder emana do povo”. Os membros do grupo afirmam que a manifestação é apartidária e reúne cidadãos com diferentes visões ideológicas. Lucia Alves Mesquita é uma das integrantes do grupo e destacou que é “inadmissível” que a Câmara tenha um vereador usando tornozeleira e, mesmo assim, empossado, cumprindo o mandato e recebendo salário.

“Isso é revoltante e não vamos aceitar. Queremos a cassação do vereador Valtão de forma imediata”, disse Lucia uma das integrantes do grupo. Também através da internet, os membros do grupo organizam um abaixo assinado em prol da cassação do mandato do vereador - clique aqui para acessar. O abaixo-assinado será levado ao Ministério Público (MP). 

“Nosso foco é a cassação dele, pretendemos e cremos que vamos ter êxito, vamos ter uma resposta positiva”, destacou Lucia. Outra integrante do grupo é a professora Elza Beatriz Gelinski. A pedagoga afirma que o grupo quer agir de forma organizada. “Estamos preparando cartazes e faixas para cobrar a cassação já na primeira sessão”, conta Elza ao falar sobre o retorno das sessões que acontece dia 17. 

Beatriz defende que o grupo busca dar “voz ao povo”. “Vamos estar lá exigindo que seja feito o certo, nós somos o povo e temos a voz! Está na hora do povo mostrar o seu poder, nós seremos uma pedra no sapato do pessoal [políticos]”, contou. A professora disse ainda que o grupo pretende se organizar para acompanhar as sessões do Legislativo presencialmente. “Toda sessão terá ao menos dois integrantes do nosso grupo acompanhando”, afirma. 

Tendo como pauta inicial a cassação de Valtão, o grupo deve migrar para outras pautas assim que a primeira seja solucionada. Os integrantes querem rever questões ligadas à CPIs e também cobrar o andamento de outros processos disciplinares envolvendo vereadores e lideranças políticas.

CPP para cassar Valtão foi formada em 2020

Ainda no final de dezembro de 2020, a Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG ) formou uma comissão para processar Valtão - o pedido de cassação foi feito pelo presidente do PRTB, Sargento Guiarone, por quebra do decoro parlamentar. No entanto, como foi formada com os vereadores que compunham a legislatura antiga da Cãmara, a comissão pode ter os membros alterados - entre os vereadores sorteados para compor o grupo apenas Divo (PSC) segue na Casa de Leis. 

Demora e trâmites legais

Na prática, desde que foi criada a comissão não chegou nem a se reunir. Diante do recesso no Legislativo e das festas de final de ano, o grupo acabou nem notificando oficialmente o vereador que, naquele momento, não estava empossado para o novo mandato. Walter tomou posse apenas essa semana e deve, a partir do dia 1º de fevereiro, ser oficialmente notificado dos processos que tramitam na Casa de Leis.

Saiba mais:

Justiça autoriza e Valtão toma posse na Câmara de PG

Empossado, Valtão volta a ter direito a salário de vereador

Justiça concede prisão domiciliar ao vereador Valtão

PUBLICIDADE

Recomendados