PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Nova ala amplia atendimento no HU dos Campos Gerais

Ponta Grossa

22 de fevereiro de 2021 15:40

Agência Estadual de Notícias


Relacionadas

Autoridades flagram tentativa de furto no pátio da AMTT

Professora de PG morre vítima do novo coronavírus

Nova etapa de vacinação de PMs é concluída em PG

Creche Sagrados Corações pede ajuda da população
Espetinhos Curitiba oferta grandes opções em carnes
Aliel vai presidir colegiado sobre prisão em 2ª instância
Atleta de PG comanda assembleia sobre atletismo
Foto: Agência Estadual de Notícias
PUBLICIDADE

Unidade foi inaugurada oficialmente nesta segunda-feira (22), em cerimônia com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Junior

O Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, administrado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), ganhou uma nova ala, que deve futuramente abrigar a maternidade. O governador Carlos Massa Ratinho participou nesta segunda-feira (22) da cerimônia de entrega oficial do local, que tem uma área de 1,3 mil metros quadrados e recebeu investimento de R$ 4 milhões, via emenda parlamentar junto ao Orçamento da União.

“É o trabalho em conjunto com a nossa bancada de deputados federais que permitiu esse fortalecimento do nosso HU de Ponta Grossa. Algo que permite ampliar a capacidade e qualidade de atendimento, extrapolando os limites de Ponta Grossa. É uma referência na saúde para os Campos Gerais”, afirmou Ratinho Junior.

Mesmo projetado para receber a maternidade, em 5 de janeiro o novo prédio passou a ser preparado para uso de pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geral. A estratégia serviu para que o prédio principal do hospital fosse utilizado exclusivamente à Covid-19. Com isso, a ala de atendimento a pacientes infectados com coronavírus passou a contar com 114 leitos, dos quais quatro de emergência, 40 de UTI e 64 de enfermaria.

“É um processo contínuo de fortalecimento, com mais leitos à disposição da população neste combate à Covid-19. Para isso os hospitais regionais universitários são essenciais. Aqui em Ponta Grossa, mas também em Maringá, Londrina e Cascavel”, disse o governador.

Dentro da mesma estratégia, a ala de maternidade e de atendimento infantil da unidade foi transferida em julho para o antigo Hospital da Criança, hoje Hospital Universitário Materno Infantil (HUMAI), também gerido temporariamente pela UEPG. O local concentra o atendimento obstetrício, clínicas pediátricas, UTI neonatal e pediátrica, cirurgias, pronto atendimento infantil e também é referência para o atendimento de crianças com Covid-19.

“Estamos falando de um hospital universitário que tem dez anos e continua crescendo, ampliando a estrutura física para atender a população dos Campos Gerais da melhor forma possível”, destacou o reitor da UEPG, Miguel Sanches Neto.

Segundo ele, o complexo médico reforçará a estrutura da 3ª Regional de Saúde, uma área com população estimada de 650 mil moradores. Público que chega a 1 milhão de pessoas pelo fato de o hospital servir de base também para regiões próximas. “Somos um hospital-escola que neste momento está servindo de referência para os atendimentos Covid. A nova estrutura permitirá ampliar a assistência e também formar novos profissionais da saúde”, afirmou o reitor.


Especialidades

Ratinho Junior destacou que a Secretaria de Estado da Saúde já está debruçada no planejamento para uma nova melhoria no complexo universitário de Ponta Grossa. A intenção, destacou o governador, é criar um centro de especialidades no HU, desafogando o atendimento. “A ideia é começar a construção nos próximos meses. É mais capacidade de atendimento para diminuir as filas de espera por consultas especializadas”, ressaltou o governador.

“Buscaremos um atendimento mais equilibrado e especializado. O horizonte próximo aponta para grandes realizações no âmbito da saúde para este hospital-escola”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.


Prédio Anexo

O projeto de ampliação do centro médico começou em 2017. O anexo tem dois pavimentos em concreto armado, com 20 leitos distribuídos em 10 quartos modernos e confortáveis, sala para atendimento de emergência, para exames e consultórios obstétricos. Além desse novo espaço, o HU continua a atender as gestantes nos leitos já existentes, centro obstétrico e pronto atendimento especializado integrado ao programa Rede Mãe Paranaense.

“Essa construção é resultado de muito planejamento. Um prédio estruturado que fará toda a diferença na saúde dos Campos Gerais”, disse a prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Schmidt.

“A saúde pública está em primeiro lugar na lista de reclamações das pessoas. É algo que não pode esperar, por isso o significado deste investimento em parceria com o Governo do Estado”, destacou o deputado federal, Aliel Machado, autor da emenda parlamentar que viabilizou os recursos para a construção da nova alado hospital.

Além da edificação principal, está prevista uma ampliação de 481 metros quadrados de área para estacionamento. Toda a calçada de acesso ao HU será refeita para eliminar irregularidades, incluir novas rampas no meio-fio e para a colocação de piso podotátil, para acessibilidade. Também está sendo construído um pronto atendimento exclusivo para gestantes.

“Estrutura que vai ajudar a população neste momento tão crítico de pandemia. Serão mais leitos específicos para isso. Passado esse momento, teremos uma nova discussão, bastante ampla, para ocupação dessas alas”, explicou o diretor-geral do HU de Ponta Grossa, Sinvaldo Baglie.


Presenças

Participaram da cerimônia o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex; o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona; o presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Jorge Lange; o deputado estadual Hussein Bakri (líder do Governo na Assembleia Legislativa); e Wilson Oliveira, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Ponta Grossa.

PUBLICIDADE

Recomendados