PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Ponta Grossa volta às aulas respeitando novas regras

Ponta Grossa

22 de fevereiro de 2021 15:10

Da Redação


Relacionadas

PG tem mais sete mortes e 215 novos casos da Covid

Prefeitura realiza manutenção na UPA Santa Paula

Ônibus de PG operarão com 'horário de domingo'

Prefeitura de PG tira dúvidas sobre serviços de delivery
Autoridades fiscalizam mais de 130 estabelecimentos em PG
PG suspende aulas presenciais na rede municipal
Em vídeo, Elizabeth pede apoio popular no combate à Covid
PUBLICIDADE

Estudantes das escolas municipais respeitaram o uso de máscaras, distanciamento e higiene. Nova rotina começa com muitos aprendizados



Ponta Grossa reabriu ano letivo, nesta segunda-feira (22), com 96% das escolas municipais abertas. Diante do cenário de pandemia, os alunos da cidade estão retornando aos estudos dentro da nova realidade. Segundo os dados divulgados pela Secretaria Municipal de Educação (SME), 70% dos alunos optaram pelo presencial híbrido. Dessa forma, cerca de 9 mil alunos voltaram para a sala de aula nesta segunda, ou seja, aproximadamente um terço das crianças; enquanto que a outra parte voltará na próxima semana, um terceiro grupo terá aulas somente de maneira remota. Assim, cada escola opera com 35% de sua capacidade.

Mesmo com o número reduzido de crianças, são grandes os cuidados com os detalhes: entrada e saída das turmas, movimentação interna, organização das salas, limpeza e hábitos dos alunos. Sempre com o uso de máscaras, com muita higiene e mantendo o distanciamento. Mesmo com tantas mudanças, a avaliação da Secretaria é de que o primeiro dia foi mais tranquilo do que o esperado.

"Os alunos estão muito conscientes em relação ao que precisam fazer. As escolas estão bem sinalizadas e é grande a criatividade de nossos professores e das equipes gestoras para que todos sintam-se confortáveis, especialmente as crianças. É um momento de adaptação para todos: profissionais da Educação, crianças e também aos pais. Se agirmos com tranquilidade e com o objetivo sempre de ajudar, teremos um retorno muito positivo", aponta a secretária de Educação, professora Simone Pereira Neves.

Para a diretora do CMEI Marjorie Bittencourt Emílio Mendes, pedagoga Lucineia Almeida, o principal objetivo neste momento é garantir um retorno seguro. "Fizemos toda uma preparação para o dia de hoje e pensamos que, no início, as crianças fossem ficar mais nervosas, mas os pais nos ajudaram bastante. Fizemos um trabalho antecipado com os pais, para que conversassem em casa, mandamos vídeos explicativos para eles, de maneira lúdica, para que pudessem entender todas as novidades. E a receptividade deles foi muito grande. Adaptamos os espaços da escola, respeitando os protocolos de segurança para garantir a segurança de todos", conta a diretora.

 

Melhorias

Segundo a SME, todas as unidades receberam orientações para colocar em prática o Protocolo de Biossegurança, que contempla uma série de ações para o retorno seguro às aulas - desde o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) até a organização da entrada e saída. As orientações foram adequadas a cada uma das Escolas e CMEIs e podem receber melhorias. "Trata-se de um período de adaptações. Todas as contribuições positivas serão muito bem-vindas para que possamos voltar com a tranquilidade necessária. Por isso precisamos do apoio de todos, especialmente no cumprimento das medidas orientadas pelas equipes gestoras. Juntos vamos vencer mais este desafio", observa a Professora Simone Pereira Neves.

 

Sete escolas não reabriram nesta segunda

A SME informa que das 152 unidades escolares, apenas três não reabriram de maneira presencial nesta segunda-feira (22/02), por terem funcionários com Covid. Desta forma, neste momento, as três unidades terão as aulas transferidas totalmente para o sistema remoto, pela TV Educativa e Youtube da SME, pelos próximos dias.

A medida foi adotada porque a quantidade de funcionários afastados por Covid ou por suspeita inviabilizou o funcionamento das unidades, mesmo com a operação em cerca de 35% da capacidade. Esta média é equivalente para cada uma das escolas e CMEIs, uma vez que 70% dos alunos devem frequentar o sistema híbrido – metade a cada semana.

A SME informa também que o monitoramento de casos será diário para cada uma das 152 unidades de ensino. Assim, conforme previsto pelo Comitê de Enfrentamento à COVID-19 do Município e pelas Comissões Escolares, a migração para o sistema de aulas remotas poderá ser imediata, caso sejam identificados novos casos que inviabilizem a abertura de uma das escolas ou CMEIs. Além disso, outras quatro unidades não puderam abrir o ensino presencial por motivo de obras em finalização.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura

 

 

PUBLICIDADE

Recomendados