PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Elizabeth se manifesta sobre mobilização de empresários

Ponta Grossa

04 de março de 2021 14:30

Da Redação


Relacionadas

Beto Preto elogia capacidade e organização de PG

Presidente da AMPG defende ‘kit-covid’ na Câmara

PG Explorer volta a ser comercializado aos turistas

Uso do ‘Kit-covid’ é aprovado pela Câmara de PG
Pegaí lança campanha para arrecadar livros de 193 países
UEPG conquista autorização para curso de Computação EaD
PG terá força-tarefa para cadastro do vale-mercado
Prefeita da cidade de Ponta Grossa Elizabeth Schmidt (PSD). Foto: Arquivo - aRede
PUBLICIDADE

De acordo com a Prefeita, a prefeitura está atenta com as reivindicações dos setores e que o assunto tem sido debatido com o Comitê de Emergência da cidade

A Prefeita da cidade de Ponta Grossa (PR), Elizabeth Schmidt (PSD), se pronunciou no início da tarde de hoje, 4 de março, sobre o possível protesto de comerciantes e empresários ponta-grossenses contra o lockdown no Paraná. A manifestação tem como tema “Mexeu com o Comércio, Mexeu Comigo” e deve acontecer na tarde de hoje (4), a partir das 15h, na Avenida Vicente Machado.

De acordo com o comunicado da Prefeita Municipal, a prefeitura está atenta com as reivindicações dos setores e que o assunto tem sido debatido constantemente com o Comitê de Emergência da cidade. Entretanto, a governante fez um alerta sobre o atual momento da pandemia no município. “Estamos trabalhando com várias opções de atuação, para que sejam estudadas alterações nas regras que alcançam diversos setores. No entanto, ainda estamos apreensivos e acompanhando a evolução das condições epidemiológicas e a ocupação de leitos, e também em constante comunicação com o governo do Estado”, disse em uma rede social.

Abertura de serviços não essenciais

O protesto deve iniciar em instantes, às 15h, na Avenida Vicente Machado. O empresário Marcio Pauliki fez uma publicação em suas redes sociais sobre o tema, apontando que os comerciantes de Ponta Grossa “estão sendo prejudicados na sua totalidade” pela medida que “não alivia em nada a situação sanitária em relação à Covid-19”.

Pauliki também afirmou que “a prioridade seria evitar as aglomerações que continuam em hipermercados, lotéricas, bancos e transporte público, e não fechar os pequenos comerciantes que são os que menos geram aglomerações. Torço para que nossos governantes tomem decisões que possam equilibrar a saúde física, econômica e mental da população. Isto é: a manutenção da saúde e do emprego, pois os dois caminham juntos”, finalizou.

PUBLICIDADE

Recomendados