PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Associação Comercial questiona fiscalização a comerciantes

Ponta Grossa

04 de março de 2021 19:40

Da Redação


Relacionadas

Ponta-grossenses, vítimas de acidente, são identificadas

Câmara avalia crédito de R$ 50 mil para obras na AMTT

Ponta-grossenses morrem em grave acidente na BR-373

Dupla-Sena da Páscoa sorteia R$ 30 mi neste sábado
Elizabeth participa de webinar sobre cidades digitais na terça
Operação Pronta Resposta III apreende drogas em Uvaranas
Tornozeleira eletrônica é encontrada no Calçadão de PG
Acipg tem se posicionado a favor da abertura do comércio. Foto: Arquivo - aRede
PUBLICIDADE

Entidade quer evitar eventuais abusos que possam ocorrer com comerciantes que estão trabalhando com portas fechadas

A Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (Acipg) encaminhou nesta quinta-feira (4) um ofício endereçado à Prefeitura de Ponta Grossa questionando algumas fiscalizações feitas pela administração a comerciantes locais que estão atuando com as portas fechadas, mas ainda assim são submetidos a vistorias de fiscais e agentes da Prefeitura.

No entendimento da Associação, comércio configura-se por entrada e saída de clientes, e a atividade de empresários com portas fechadas, dentro de seus estabelecimentos, não é passível de qualquer tipo de autuação ou punição com base no decreto estadual.

No documento, a Acipg questiona a maneira como alguns empresários teriam sido vistoriados pela Prefeitura, mesmo estando de portas fechadas – obedecendo ao decreto estadual que determina o não funcionamento de atividades consideradas não essenciais – e sendo alvo de eventuais abusos.

“Entendemos que os lojistas têm o direito de realizarem as suas vendas por meio de delivery, sejam eles de qualquer setor, e que os mesmos possam permanecer nas lojas. O ato de comercializar de acordo com o decreto possui a finalidade de diminuir a mobilidade urbana, se caracterizando pelo acesso de clientes ao produto em lojas físicas, e não está ocorrendo. Nesse sentido, exigimos que os fiscais se atenham às normativas do decreto sem abusos e autoritarismo”, informa o documento enviado pela Acipg à Prefeitura de Ponta Grossa.

Informações: Assessoria de Imprensa.

PUBLICIDADE

Recomendados