PLATAFORMAS


EDITORIAS


SEÇÕES


PROJETOS


INSTITUCIONAL

Corregedoria da Câmara arquiva acusação contra Passos

Ponta Grossa

14 de abril de 2021 17:38

Da Redação


Relacionadas

Novos médicos iniciaram as atividades no serviço municipal

Aliel quer suspender portaria que permite supersalários

Hospital Bom Jesus recebe doação das Farmácias Fleming

PG prorroga decreto de medidas contra o novo coronavírus
HU promove campanha no Dia Mundial de Higienização
UEPG finaliza Vestibular com ações pioneiras no Paraná
Fazenda Escola da UEPG recebe novo trator
PUBLICIDADE

Decisão é de todos os membros da Corregedoria, segundo o parlamentar Paulo Balansin

O vereador da cidade de Ponta Grossa, Paulo Roberto Balansin (PSD), disse agora à tarde (14), na ‘Sessão Ordinária’ da Câmara Municipal de Ponta Grossa (CMPG), que arquivará as acusações de ‘rachadinha’ e assédio sexual contra o parlamentar Felipe Ramon dos Passos (PSDB). De acordo com Balasin, a decisão é de toda a Corregedoria da Casa de Leis e deve ser apresentada, ainda hoje, no Legislativo.

Segundo Paulo, entendeu-se que a situação de Passos foi “politicagem” contra o parlamentar. Dessa forma, os membros da Corregedoria optaram pelo arquivamento das acusações contrárias ao vereador. Quem acusou Passos foi o ex-assessor do parlamentar, Felipe Reis.

Defesa do vereador emite nota:

"O advogado Fernando Madureira que representa o vereador Felipe Passos informou que a Corregedoria da Câmara Municipal de Ponta Grossa determinou o arquivamento da representação formulada pelo PSDB que pedia a cassação do mandato do parlamentar.

Por unanimidade os membros da Corregedoria opinaram pela inadmissibilidade da representação por entenderem que não havia provas contra o Vereador para dar prosseguimento ao procedimento.

O vereador era acusado de ter praticado assédio sexual e de pedir para seus assessores devolverem parte dos seus salários.

Madureira disse que o vereador Felipe sempre esteve tranquilo porque era totalmente inocente das acusações. Felipe foi vitima de mentiras articuladas por pessoas inescrupulosas com a nítida intenção de prejudicar politicamente o vereador e a verdade prevaleceu, ficou demonstrado que as acusações eram falsas. 

Madureira disse que vai entrar na Justiça contra as pessoas que acusaram levianamente o vereador para que sejam responsabilizadas civil e criminalmente".

Comunicado de Felipe Reis:

“Lamentável que a Câmara de Ponta Grossa passe a mão na cabeça dos políticos e não deixe uma investigação correr dentro daquela Casa. Estou muito tranquilo porque sei que a investigação do Ministério Público está acontecendo. Já entreguei todas as provas, inclusive áudios, mensagens, extrato bancário. Tudo no Ministério Público.

Já foi encaminhado, inclusive, coisas novas que não estavam anexadas na mídia, nem em outros processos. Confio que a Justiça tardará, mas não falhará e que se a Câmara achou por bem arquivar, tudo bem. Eles têm o direito de fazer isso, mas isso mostra o quão a Câmara quer esconder as coisas erradas que acontecem lá.

Lá são feitos muitos acordos e o Felipe, com certeza, fez alguns acordo para que isso acontecesse. Infelizmente. Quem perde com isso é o eleitor, não sou eu. Que, mais uma vez, tem que ver a Câmara de Ponta Grossa passar panos para problemas que realmente aconteceram. Mas o Ministério Público está investigando e, tenho certeza, ele não deixará isso passar. Em breve teremos novidades e muita coisa ainda acontecerá. Inclusive, envolvendo outros vereadores. Tenho muita coisa e, já que a Câmara arquivará, começarei a soltar isso”.

PUBLICIDADE

Recomendados